KVM no linux e pandemia

E aí pessoal

Vocês conhecem virtualização?


Hoje a virtualização é basicamente usada por todas empresas.

Digo que 99,99% das empresas usam virtualização.

As 3 principais clouds públicas do mercado usam suas bases de infraestrutura como serviço suas tecnologias de virtualização.

Claro que de forma mais otimizada com seus códigos com mais performance, mas é baseado em suas tecnologias de virtualização.
afinal tudo ainda está em um datacenter, mesmo que tenha automação ainda é um datacenter.

AWS usa suas imagens em AMI baseadas em KVM.
Google Cloud Platform usa sua base em KVM.
Azure usa sua base de máquinas virtuais em Hyper-V.
O Openstack também como cloud privada ou cloud publica usado em vários provedores como Locaweb, Mandic, Uol Diveo, Claro dentre outros também tem tecnologia de sua base de virtualização com o KVM.

Hoje temos várias tecnologias de virtualização como Vmware, o próprio hyper-v, Xen da Citrix, o Kvm puro dentre outros.

Neste momento de pandemia podemos utilizar uma plataforma de virtualização baseada em opensource, o KVM.

O Kvm não tem custo e dispensa comentários pois os players públicos, e centenas de privados adotaram para uso em larga escala.

Neste momento de pandemia muitas empresas estão reduzindo seus custos com licenciamento, criando seus pools de virtualização e cloud privada, investindo em pessoas com conhecimento em tecnologia abertas em linux.

Várias corporações criam seus produtos com sua base em linux.

Isso gera criatividade e fomenta novas tecnologias ou formas criativas de trabalho.
Este é o momento mais criativo da humanidade se não o mais.

É importante que perfis de profissionais estejam atentos a estas tecnologias e os C-levels tenham sensibilidade de investimento nestas tecnologias.

Bom vamos lá para os passos?

KVM – Kernel Virtual Machine, (Máquina Virtual baseada em kernel) é uma tecnologia de virtualização de código aberto incorporada ao kernel Linux. Com a KVM para executar várias máquinas virtuais convidadas linux ou Windows. Cada hóspede está completamente isolado dos outros e tem seu próprio sistema operacional e hardware virtual dedicado, como CPU(s), memória, interfaces de rede e armazenamento.

Este guia fornece instruções sobre como instalar e configurar o KVM na área de trabalho do Ubuntu 20.04.

Também mostraremos como criar máquinas virtuais que podem ser usadas como um ambiente de desenvolvimento para diferentes aplicações.

Pré-requisitos

Para executar hóspedes com mais de 2 GB de RAM, você deve ter um sistema de host de 64 bits.

Antes de continuar com a instalação, certifique-se de que a máquina host do Ubuntu suporte a virtualização do KVM. O sistema deve ter um processador Intel com o VT-x (vmx), ou um processador AMD com suporte à tecnologia AMD-V (svm).

Execute o seguinte comando grep para verificar se o processador suporta virtualização de hardware:

grep -Eoc ‘(vmx|svm)’ /proc/cpuinfo

Se a CPU suportar a virtualização do hardware, o comando produzirá um número superior a zero, que é o número dos núcleos da CPU. Caso contrário, se a saída for, significa que a CPU não suporta virtualização de hardware. 0

Em algumas máquinas, as extensões de tecnologia virtual podem ser desativadas no BIOS pelos fabricantes.

Para verificar se o VT está habilitado no BIOS, use a ferramenta, que está incluída no pacote.

Digite os seguintes comandos como raiz ou usuário com privilégios sudo para instalar o pacote que inclui o comando:


kvm-okcpu-checkerkvm-ok

sudo apt update

sudo apt install cpu-checker

Uma vez instalado, verifique se o sistema pode executar máquinas virtuais KVM aceleradas por hardware:

kvm-ok

Se o recurso de virtualização do processador não for desativado no BIOS, a saída será algo assim:

INFO: /dev/kvm exists

KVM acceleration can be used

Caso contrário, o comando imprimirá e uma mensagem de falha e, opcionalmente, uma mensagem curta sobre como ativar a extensão. O processo de habilitação da tecnologia AMD-V ou VT depende do tipo de placa-mãe e processador. Consulte a documentação da sua placa-mãe para obter informações sobre como configurar o BIOS do sistema.

Instalação do KVM no Ubuntu 20.04

Execute o seguinte comando para instalar o KVM e pacotes adicionais de gerenciamento de virtualização:

sudo apt install qemu-kvm libvirt-daemon-system libvirt-clients bridge-utils virtinst virt-manager

  • qemu-kvm – software que fornece emulação de hardware para o hipervisor KVM.
  • libvirt-daemon-system – arquivos de configuração para executar o daemon libvirt como um serviço de sistema.
  • libvirt-clients – software para gerenciamento de plataformas de virtualização.
  • bridge-utils – um conjunto de ferramentas de linha de comando para configurar pontes ethernet.
  • virtinst – um conjunto de ferramentas de linha de comando para criar máquinas virtuais.
  • virt-manager – uma interface gui fácil de usar e utilitários de linha de comando de suporte para o gerenciamento de máquinas virtuais através do libvirt.

Uma vez instalados os pacotes, o daemon libvirt será iniciado automaticamente. Você pode verificar digitando:

sudo systemctl is-active libvirtd

active

Para ser capaz de criar e gerenciar máquinas virtuais, você precisará adicionar seu usuário aos grupos “libvirt” e “kvm”. Para fazer isso, digite:

sudo usermod -aG libvirt $USERsudo usermod -aG kvm $USER

$USER é uma variável de ambiente que detém o nome do usuário atualmente conectado.

Faça login e faça login de volta para que a adesão ao grupo seja atualizada.

Configuração da rede

Uma ponte chamada “virbr0” é criada durante o processo de instalação. Este dispositivo usa o NAT para conectar as máquinas dos hóspedes ao mundo exterior.

Você pode usar a ferramenta para listar as pontes atuais e as interfaces a que estão conectadas:brctl

brctl show

bridge name    bridge id         STP enabled    interfaces

virbr0         8000.52540089db3f    yes         virbr0-nic

A ponte “virbr0” não tem interfaces físicas adicionadas. “virbr0-nic” é um dispositivo virtual sem tráfego roteado através dele. O único propósito deste dispositivo é evitar alterar o endereço MAC da ponte “virbr0”.

Esta configuração de rede é adequada para a maioria dos usuários de desktop do Ubuntu, mas tem limitações. Se você quiser acessar os hóspedes de fora da rede local, você precisará criar uma nova ponte e configurá-la para que as máquinas convidadas possam se conectar ao mundo exterior através da interface física do host.

Criando máquinas virtuais

Agora que o KVM está instalado no seu desktop Ubuntu, você pode criar o primeiro VM. Isso pode ser feito a partir da linha de comando ou usando o aplicativo.virt-manager

Baixe a imagem ISO do sistema operacional que deseja instalar e siga as etapas abaixo para criar sua máquina virtual:

Na barra de pesquisa Atividades tipo “Gerenciador de máquinas virtuais” e clique no ícone para iniciar o aplicativo.

Depois que o aplicativo é iniciado, a partir do menu superior clique em “Arquivo” -> “Nova Máquina Virtual”:


  1. Uma nova janela aparecerá. Escolha “Mídia local de instalação” e clique no botão “Avançar”.
  2. Forneça seu caminho de imagem ISO e clique no botão Avançar.
  3. Na próxima tela, escolha as configurações de memória e CPU da VM. Clique em Avançar.
  4. Em seguida, selecione “Criar uma imagem em disco para a máquina virtual” e selecione o tamanho do espaço em disco da VM. Clique em Avançar.
  5. Digite um nome para o nome da sua máquina virtual e clique em “Terminar”.
  6. O VM será inicializado, e uma nova janela será aberta:


    A partir daqui você pode seguir as instruções na tela para completar a instalação do sistema operacional.

Uma vez instalado o sistema operacional, você pode acessar a máquina virtual a partir do aplicativo, via ssh ou usando a interface Serial Console.virt-manager

É importante salientar que os testes aqui além de ambientes linux o Windows funciona perfeitamente.

Espero que eu tenha aberto sua mente e ajude neste momento tão especial em tecnologia.

Abraços

Sobre Fabio Silva - MVP Reconnect

MVP Reconnect Microsoft Azure - Entusiasta Office 365 Profissional apaixonado por tecnologia. Perfil generalista mas com profundo conhecimento em varias tecnologias. Mais de 10 anos de skill em ambientes Linux Analista Senior realizando trabalhos: Comunicação unificada Lync 2013, Sharepoint 2013, Exchange 2013, Vmware e Windows 2012 preparado para nuvem, hibrida e on-premisses. Comunicação unificada Lync 2013, Sharepoint 2013, Exchange 2013, Vmware e Windows 2012 preparado para nuvem, hibrida e on-premisses. Implantação de comunicação unificada e mensageria Lync 2013 e Exchange 2013 na empresa Penso Tecnologia. Itcore Consultor Senior em todas soluções Microsoft e Virtualização. Consultor Microsoft e Linux Senior De Julho de 2012 a Março de 2013 Consultor Microsoft e Linux Senior De Maio de 2012 a Setembro de 2012 Tecban (Técnologia Bancaria) Auditor de Sistemas Pleno Março de 2012 a Maio de 2012 Analista de TI Senior Março de 2011 a Março de 2012 Analista de infra-estrutura de redes e desenvolvimento Maio 2007 a Março de 2011 Analista de Redes Março de 2005 a Maio de 2007 Integradora THS Área de Suporte CPD Janeiro de 2004 a Janeiro de 2005 Especializações: Certificado Microsoft Windows 2003, Certificado Zimbra Network Edition, Certificado Sonicwall. Especialização em Messageria Exchange 2007 e 2010. Especialização em Linux

Publicado em 5 de julho de 2020, em Cloud. Adicione o link aos favoritos. 7 Comentários.

  1. é o seguinte eu tenho um ubuntu server na empresa hospedando umas seis VM em virtualbox a dois anos.

    em que o KVM ganha do virtual box?

    pois com o virtualbox eu já consegui criar rotinas script como: fazer um snapshot periodico; recuperar um snapshot em caso de desastre; subir as VMs quando o server é iniciado; 1x mês apagar os snapshots mais velhos

    minha dúvida é: depois do perrengu até chegar nesta estabilidade que eu consegui com o virtualbox, vale a pena mudar para o kvm?
    quais as melhorias e vantagens?

    obrigado

    Curtido por 1 pessoa

  2. Se o drive do monitor for ativado ou o Windows emular sim. Se vc quiser fazer um teste monte uma máquina virtual rds em sua casa e teste como se tivesse com a maquina em outra localidade.

    Curtir

  3. Quantas máquinas virtuais o KVM suporta?

    Curtir

Deixe uma resposta para Fabio Silva - MVP Reconnect Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Office 365 Weekly

Office 365 news, notes and tips

Domínio TI

Aplicando informação, conquistando conhecimento.

Revista do Linux

Seja Bem Vindo … Aqui você encontrará dicas, melhores Soluções e Práticas de TI

Samba4

Active Directory Livre

Cloud and Datacenter Management Blog

Microsoft Hybrid Cloud blogsite about Management

Sulamita Dantas

DBA SQL Server & Analista BI

Ao redor do buraco tudo é beira!

Um cavalo morto é um animal sem vida!

Exame

Notícias do Brasil e do Mundo. Economia, Política, Finanças e mais. ➤ Entrevistas, Análises e Opinião de quem entende do Assunto! ➤ Acesse!

%d blogueiros gostam disto: