Arquivo do autor:Fabio Silva - MVP Reconnect

AWS OUTPOSTS

AWS fornece serviços onpremisses

AWS fornece serviços on-prem disponíveis no lançamento

Os serviços suportados localmente nos novos AWS Outposts incluirão clusters Amazon ECS e Amazon EKS para aplicativos baseados em contêiner, clusters Amazon EMR para análise de dados e instâncias Amazon RDS para serviços de banco de dados relacional quando o Outposts for lançado ainda este ano.

O Amazon SageMaker e o Amazon MSK estão entre outros serviços que se seguirão logo depois, de acordo com Matt Garman, vice-presidente de serviços de computação da Amazon Web Services.

O AWS Outposts totalmente gerenciado, que basicamente estende uma região da AWS aos próprios datacenters dos clientes, foi anunciado na conferência AWS re: Invent em novembro passado. Ele incluirá duas versões, o VMware Cloud on AWS Outposts e a versão nativa do AWS Outposts .

O AWS Outposts permite que os clientes usem serviços, infraestrutura, interfaces de programação de aplicativos (APIs) nativas da AWS e outras ferramentas em suas instalações locais, com hardware de data center integrado que é executado nos ambientes VMware ou nativos da AWS. O novo serviço totalmente gerenciado foi projetado para executar aplicativos com baixa latência e requisitos de processamento de dados locais.

Os clientes podem usar o AWS Outposts para iniciar uma variedade de instâncias do Amazon EC2 – C5, M5, R5, I3en e G4, com ou sem opções de armazenamento local – e volumes do Amazon Elastic Block Store localmente, de acordo com Garman.

“Você pode usar a conectividade privada com seus buckets do Amazon S3 ou tabelas do Amazon DynamoDB na região pública”, escreveu Garman em um post de blog ontem, que oferece mais clareza no Outposts. “As ferramentas da Amazon também funcionarão com os Outposts. As chamadas de API serão registradas via CloudTrail automaticamente, e os modelos existentes do CloudFormation funcionarão. Quando a AWS lança novas inovações, elas trabalham com os Outposts para que os clientes sempre possam tirar proveito das mais recentes tecnologias. ”

A AWS recusou-se a nomear clientes ou parceiros com acesso antecipado a Outposts, mas Garman citou “imenso” interesse do cliente como parte de suas estratégias de nuvem híbrida. A AWS está conversando com empresas de setores como saúde, serviços financeiros, manufatura, mídia e entretenimento e telecomunicações, disse ele.

“Um dos cenários mais comuns são os aplicativos que precisam de latência de um dígito em milissegundos para usuários finais ou equipamentos no local”, disse Garman. “Os clientes podem precisar executar cargas de trabalho intensivas em computação nos pisos de suas fábricas com precisão e qualidade. Outros têm aplicativos com uso intensivo de gráficos, como análise de imagem, que precisam de acesso de baixa latência a usuários finais ou cargas de trabalho intensivas em armazenamento que coletam e processam centenas de (terabytes) de dados por dia. ”

Um usuário antigo do Outposts não identificado está usando-o para controlar e operar equipamentos industriais em centenas de locais de trabalho em todo o mundo.

“Eles já executam aplicativos de tomada de decisão centralizados na AWS para identificar o trabalho a ser executado em qual site”, disse Garman. “O acesso previsível de baixa latência aos recursos locais de computação é essencial para que seus sistemas de controle locais gerenciem os materiais com suavidade e velocidade. Por exemplo, os sistemas de controle precisam processar fluxos de vídeo para detectar o produto na correia transportadora e executar um movimento robótico para direcionar o produto para o local certo. Seus sites também executam aplicativos de monitoramento de vídeo nos quais os dados capturados podem exceder a largura de banda disponível (quando) eles desejam realizar a codificação de vídeo no local. ”

Após conectar o Outpost desse cliente à região local mais próxima da AWS, a empresa tem controle total sobre sua rede virtual, incluindo a seleção de um intervalo de endereços de protocolo de Internet (IP), a criação de sub-redes e a configuração de tabelas de rotas e gateways de rede, de acordo com Garman.

“Com o Outposts, o cliente planeja padronizar as ferramentas no local e na nuvem e automatizar implantações e configurações em centenas de sites usando as mesmas APIs, as mesmas permissões IAM (gerenciamento de identidade e acesso), as mesmas AMIs EC2 (Amazon imagens de máquinas), os mesmos modelos do CloudFormation e os mesmos pipelines de implantação em todos os lugares ”, afirmou Garman.

Racks AWS Outpost

Os racks de data center de computação e armazenamento Outposts serão construídos com hardware projetado pela AWS. A AWS entregará, instalará, operará e monitorará a infraestrutura física dos postos avançados e fornecerá atualizações e patches automáticos.

Os racks, que são totalmente montados, incluem o mesmo hardware que a AWS usa em seus data centers de região pública. Eles têm 24 polegadas de largura, 48 polegadas de profundidade e 80 polegadas de altura e vêm com rodízios para manobrabilidade. Eles têm um barramento na parte traseira e uma prateleira de energia no meio, e usam uma unidade de conversão de energia redundante centralizada e um sistema de distribuição de CC no plano traseiro.

Cada componente ativo é redundante e pode ser removido e substituído sem afetar outras cargas de trabalho, de acordo com a AWS.

Os racks Outpost usam o mesmo plano de controle que os racks EC2, mas incluem um chip Nitro adicional em todos os servidores para ajudar a conectá-los à região pública da AWS.

Embora os racks de hardware incluam comutadores embutidos no topo do rack, os parceiros da AWS não vêem isso como um movimento da AWS para assumir o líder de mercado de comutadores de rede Cisco Systems ou outros fabricantes.

A AWS não está divulgando os componentes individuais usados nos racks AWS Outposts, mas todos foram exaustivamente testados e verificados pela AWS, de acordo com uma fonte próxima à empresa.

“Os clientes estão menos preocupados com os componentes de hardware individuais e mais interessados no valor que a experiência consistente da AWS e o serviço totalmente gerenciado que o AWS Outposts oferece”, disse a fonte.

Fonte: https://www.crn.com.au/news/aws-hypes-up-on-prem-services-available-at-launch-530943?

Zona DNS no Azure

Olá pessoal

Vou demonstrar como é bem simples realizar a configuração de ZONA DNS no Azure.

Esta demonstração irei fazer junto com um domínio no Office 365.

De quebra você aprende a configurar 2 serviços.

No Azure escolha o serviço obviamente de Zona DNS e clique em criar.

Este próximo passo vamos criar o grupo de recursos que o serviço vai pertencer.

Proximo passo é a criação da zona dns

Proximo passo é realizar o tageamento do serviço que facilita no billing da conta.

Este passo é a validação antes da criação.

Vamos aguardar, é bem rápido a criação.

Demora pelo menos 30 segundos a criação.

Após concluir o provisionamento ele mostra para ir para o recurso.

Blz zona criada vamos la no Registro.br e cadastrar os servidores.

Vamos colocar no registro.br este 4 servidores NS que o DNS do Azure forneceu.

ns1-08.azure-dns.com.
ns2-08.azure-dns.net.
ns3-08.azure-dns.org.
ns4-08.azure-dns.info.

Nós vamos lá no registro e cadastrar lá.

Presumo que você já tenha comprado o domínio, e já tenha pago, este passo é mais o final que é cadastrar os NS, fiz o cadastro dos 4 NS que foram fornecidos e vamos salvar.

Veja que depois disso irá ocorrer uma publicação do DNS para os roots acharem na internet seu domínio e ele estar apto a cadastrar seu site, seu serviço de comunicação como Skype for business, Exchange ou outro serviço de e-mail.

Após isso você já pode cadastrar os apontamentos de DNS e administrar seu serviço de DNS do Azure.

Vamos agora no Office 365 e cadastrar um domínio e fazer os apontamentos com as zonas do Azure.

No portal de administração do Office 365 vamos cadastrar na integra o domínio mundo365.com.br e ativar para que possamos cadastrar o resto dos apontamentos. É só clicar em adicionar domínio.

Cadastre o domino, no meu caso irei cadastrar o domínio mundo365.com.br

Após o cadastro ele vai exibir um valor de TXT para você fazer o primeiro cadastro e validar para que você possa cadastrar o resto dos apontamentos.

Copie o MS=ms22901745

Volte lá no Azure e crie o primeiro apontamento.

OBS: Este exemplo esta sendo direcionado para serviços de DNS do Azure, nada impede de você utilizar

Clique em conjunto de registro e vamos colocar aquele registro TXT mencionado acima.

Cadastre, aguarde uns 2 minutos e vamos validar no Office 365.

Veja como ele aparece visualmente.

No office 365 só ir la no botão verificar ele vai validar seu cadastro.

Lembre-se que no registro demora até 2 horas para ficar ativo.

De proposito eu coloquei esta mensagem abaixo para vocês verem que precisa aguardar.

Depois que ele verificar ele vai validar e já passará os apontamentos de DNS para você configurar no Azure.

Pegue cada um copie e cole com apontamentos TXT, SIP, MX e outros. Salve e valide novamente.

Siga os passos que estão no site da Microsoft que os que estão no site do Office 365 estão errados.

https://docs.microsoft.com/pt-br/office365/admin/dns/create-dns-records-for-azure-dns-zones?redirectSourcePath=%252fen-US%252farticle%252fCreate-DNS-records-for-Azure-DNS-zones-fbcef2d7-ebaf-40d0-ba1f-cdaeff9f50ef&view=o365-worldwide#BKMK_add_SRV

Validou e fez certo, não tem como errar. Vai aparecer isso.

Domínios cadastrados e funcionando você estará apto tanto no DNS do Azure como no Office 365 a trabalhar.

No DNS do Azure tudo correto agora só cadastrar os outros apontamento de sites ou outros apontamentos que você tem.

Espero que com esta matéria você fique apto a configurar DNS no Azure e criar DNS no Office 365.

Fico a disposição.

Curso EAD de Azure e AWS

Pessoal

Ao longo de 2017 e 2018 fizemos pelo menos 25 turmas de AWS e Azure entre aulas presenciais e aulas ao vivo.

Todas com muita dedicação e agora estamos lançando para uma melhor comodidades EAD.

Aproveitamos as aulas gravadas e editamos tudo que foi melhor das aulas ao vivo.

Será uma melhor comodidade para quem não é de SP.

Os valores estão promocionais.

Além da aula o aluno terá suporte nas segundas-feiras para Azure e AWS as quartas comigo mesmo.

A Tempo Real eventos como sempre parceira e nos apoiando com qualidade.

Veja a primeira hora de Azure e AWS como cortesia.

Acesse o site:

https://www.temporealeventos.com.br/aws-ead/

https://www.temporealeventos.com.br/azure-ead/

Espero que gostem.

Abracos

Cloudberry Backup LAB com S3 AWS

Olá pessoal

Semana passada comentamos aqui sobre o Cloudberry backup com Microsoft Azure.

Irei mostrar a vocês como é o conector para S3.

É bem simples.

Veja todos passos como instalar aqui nesta matéria: https://fabiosilva.com.br/2019/07/09/cloudberry-backup-para-multicloud-lab-microsoft-azure/

Eu irei criar o bucket no S3.

Imagino que você já tenha uma conta no AWS. Se não tiver siga estes passos no próprio site da AWS https://aws.amazon.com/pt/free/activate-your-free-tier-account/.

Para criação do bucket no S3 é bem simples, iremos criar no botão “Criar Bucket”.

O backup você irá criar o nome do bucket a região que será armazenado o dado dentro do bucket. Simples assim.

Próximo passo é definição de chave, mas para este processo não precisará por enquanto, pois estamos definindo como é no software de backup Cloudberry.

Mantenha sem acesso ao publico.

Obviamente nós estamos criando um ambiente de laboratório e você irá definir se precisa de mais segurança ou outros tipos métodos de segurança para acessar a pasta.

Clique em criar bucket.

Bucket criado vamos para os passos seguintes para realizar a conexão com o Cloudberry.

Imagino que você tenha já visto os passos de como fazer a instalação do Cloudberry.

Abra o software e vamos no menu de criação para AWS.

clique no menu de local para CLOUD.

De o próximo passo para escolhemos o S3 da AWS.

Iremos escolher o S3 em “Add new Storage Account”.

Iremos escolher o Amazon S3, o Glacier é exatamente igual para realizar os procedimentos. Em um próximo tópico iremos falar só do Glacier.

Veja acima que para colocar esta chave é preciso ir no IAM serviço da AWS ele vai criar um acesso e gerar a chave de acesso ao seu ambiente do S3. Preencha a chave de acesso e preencha a chave secreta. Assim que você preencher tecnicamente o software esta se conectando em uma API do S3 em um endereço https da AWS, a chave irá realizar a autenticação e encontrará todos buckets criado em sua tenant. Veja que no menu ele já acha automaticamente o bucket que criei. Mesmo assim o software já tem poder de criar direto um bucket direto sem você precisar criar la no portal do AWS.

De o OK.

Veja que temos agora o S3 conectado para uso e temos o Azure da semana passada e podemos agora fazer backup multicloud.

Daqui para frente você irá criar seu plano de backup para realizar no S3 da AWS.

Pronto depois deste processo é o mesmo processo que fizemos no Azure. O link está aqui acima e siga os passos de la.

Pessoal, espero ter ajudado nesta matéria no AWS.

Até mais.

Cloudberry Backup para multicloud lab Microsoft Azure

Olá pessoal

O cloudberry backup é uma das ferramentas mais inovadoras do mercado para quem quiser usar a cloud que bem entender, Azure, AWS, Google Cloud e outros players de mercado.

Inclusive fui citado na parte de mídia do próprio site da CloudBerry na parte de mídia.

https://www.cloudberrylab.com/company/media/media-coverage.aspx

Participei de alguns projetos aqui no Brasil onde a base passa de 15TB de dados.

Praticamente tem agente para os principais players como SQL, Exchange Server, File Server, Oracle dentre outros.

Veja minhas matérias anteriores:

https://fabiosilva.com.br/2015/07/29/cloudberry-inovacao-em-backup-na-nuvem-nuvem-hibrida-e-nuvem-privada/

https://fabiosilva.com.br/2015/08/12/cloudberry-backup-com-openstack/

A versão que irei mostrar é a ultimate onde mostrarei os agentes.

Escolha a Ultimate

Baixe a versão no seu diretório de escolha.

Copie o código de ativação de 30 dias, eu tenho uma versão para desktop, mas a varias versões, a versão ultimate ela vem com os principais agentes locais para Windows Server como Exchange Server, File Server, SQl Server.

Umas das coisas mais legais é você ter a liberdade de fazer uma parte local, outra parte na AWS, outra parte no Azure, Am ambiente COLD ou HOT ou no Glacier. Ele não faz só em fita por considerar que cloud hoje ou storage atende e é mais barato que manter em fita.

Minha recomendação obviamente é fazer em cloud storage, em segundo lugar em storage.

A instalação é bem simples, estou fazendo esta por conta das atualizações que tiveram.

Escolha o diretório de sua escolha.

Como eu mencionei a instalação é muito simples.

A interface é simples, limpa e intuitiva, veja os agentes desta versão ultimate para Arquivos, Imagem Windows, MS SQL Server, e Exchange Server. Onde você vai armazenar seus dados não importa, escolha onde vai armazenar e seja feliz.

Eu vou escolher um plano de backup de arquivos com Microsoft Azure para você verem como é simples.

Va em plano escolha arquivos.

Escolhi obviamente de local para Cloud Backup.

Escolherei adicionando um cloud Storage como S3 ou Glacier so AWS, o Storage Account Hot ou Cold do Azure, ou Cloud Storage do Google Cloud.

Ele mostra os principais players de marcado estão aqui para escolher e outros abaixo.

Atenção para outros players principalmente S3 compatible como Huawei Open Cloud, Vivo Open Cloud que usam storage baseados em protocolo S3. A infinidade de compatibilidade é imensa por isso que faz dela uma ótima ferramenta de mercado.

Eu escolhi o Azure, especificarei o storage account e a chave que ele me gerou. Depois aqui mesmo eu posso criar o container que o dado irá ficar armazenado, o próprio software aciona a API e gera o container.

Para criar no Azure segue os passos nestes links abaixo:

https://docs.microsoft.com/pt-br/azure/storage/blobs/storage-quickstart-blobs-portal

https://fabiosilva.com.br/2016/11/23/mapeando-storage-no-linux-e-no-windows-no-azure/

No Azure precisa verificar a chave de acesso. Clique la na chave de acesso.

Copie a chave key 1

Preencha os campos acima após a criação do storage account.

Como mencionei acima o recipiente iremos criar aqui.

O próprio cloudberry cria um nome padrão, mas você pode criar, como estão em laboratório mantenhamos a criação do próprio software.

Escolha o recipiente criado.

Pronto você está apto de realizar seu backup em CLOUD, simples e pratico.

Este próximo passo você irá escolher o seu plano de backup.

Geralmente backup full em Cloud depende totalmente do seu link de internet, então pressuponho que seu backup será incremental ou diferencial.

Os próximos passos não entrarei em muitos detalhes, pois a escolha é mais o perfil da empresa do que propriamente o que o sistema de backup oferece.

É notório que isso ira definir seu plano e como você quer ele independente de cloud ou não. Obviamente em cloud você é cobrado por armazenamento, restore e i/o de disco. Avalie bastante as calculadoras das respectivas clous e o que mais se encaixa com o perfil da sua empresa.

O nome do plano de backup é importante pois a gestão é importante.

Neste modo você escolhe qual modelo será utilizado.

Obviamente estamos aqui mostrando ambiente Windows e ele mostrará opções de backup tipo Permissões NTFS.

Aqui você escolherá em modo até granular qual diretório você escolhera para ser backupeado em nuvem.

Ele faz de tudo mesmo, pendrives e até mapeamento que estiver na maquina.

Como disse não vou entrar em detalhes, aqui você escolhera a linha do tempo, se é de todos arquivos, tamanho de arquivos e outros detalhes interessantes que você escolhera certamente.

Importante agora você analisar que o software verifica a cloud que você escolheu e trará características como o COOL BLOB STORAGE que são discos que você armazenará mais barato e com poucas restaurações. São dados que vão ficar mais sem mexer. Isso na hora de escolher a politica é importante.

Aqui são mais detalhes da sua política.

Importante aqui onde você escolhe o schedule de horas, dias e como você vai realizar as tarefas de backup.

Você pode executar outros comandos que podem deixar seu backup mais importante.

Aqui são os relatórios que irá enviar através do e-mail que são importantes para registro. Não só quando backup falhar ou em todos os momentos do backup.

Praticamente finalizando ele te mostra todo o plano de backup.

Eu vou rodar o backup já como não fiz planos com schedule.

Veja como o seu schedule vai funcionar. Ele mostra em tempo real, você pode analisar aqui como esta funcionando, que horas que foi feito além da parte de e-mail.

Sempre que quiser navegar em funções já veja aqui neste menu, eu vou e mostrar que nem precisa ir no storage do Azure para ver como está.

Finalizando veja como é o nível de granularidade de como você pode restaurar um arquivo de um storage em nuvem. Simplesmente detalhado.

Veja também como esta no Azure o nível do backup que foi feito como laboratório no Cloudberry no Azure.

No próximo post irei mostrar como se conectar no AWS.

Abraços.

Diferença entre Office Business e Office ProPlus

Olá pessoal, muita gente tem dificuldade para diferenciar o Office business e o Office ProPlus, e acaba comprando errado ou pagando um valor maior para funções que não irá usar nas duas versões.

Tem uma serie de coisas que você pode comparar entre o Office Business e o Office Proplus

Existem duas versões independentes do Microsoft Office que podem ser adquiridas na assinatura do Office 365:

Office 365 Business

Office 365 ProPlus.

Eles também podem ser empacotados com (ou comprados além de) vários outros serviços do Microsoft Office 365, como o Exchange Online, o SharePoint Online e o Skype for Business.

O Office 365 Business é empacotado com o plano do Office 365 Business Premium.

O Office 365 ProPlus está incluído nos planos do Office 365 E3 e E5.

Em geral, essas duas aplicações são mais ou menos as mesmas. Você terá a capacidade de:

Instalar aplicativos do Office em até cinco computadores para cada assinante

Execute os principais aplicativos do Microsoft Office do Word, Excel, PowerPoint, Outlook, etc…

Instalar e usar os aplicativos do Office em dispositivos móveis iOS, Android e Windows

Atualize para uma versão mais recente do software sempre que uma nova versão for lançada

Principais diferenças entre o Office 365 Business e o Office 365 ProPlus:

O Office 365 Business só pode ser implantado para até 300 usuários em uma organização; O Office 365 ProPlus não tem essa restrição.

O Office 365 ProPlus inclui o Microsoft Access

Existem várias diferenças menores entre as duas versões do software:

Como o Office 365 Business não tem acesso, recursos como comparação de banco de dados não estão disponíveis por que não tem o access, mas quem usa access hoje?

O Office 365 ProPlus permite a capacidade de executar o Microsoft Office em áreas de trabalho virtuais hospedadas em um Windows Server executando os Serviços de Área de Trabalho Remota, junto com a capacidade de ativar isso para todos os usuários. O Office 365 Business não.

O Office 365 ProPlus tem algumas ferramentas úteis do Excel: Excel Spreadsheet Compare, Excel Spreadsheet Inquire, Power Pivot para Excel, Power Query para Excel, Power View para Excel; que o Office 365 Business não.

O Office 365 ProPlus oferece suporte ao arquivamento e à conformidade do Exchange Online e do SharePoint Online. Eles são usados ​​com as versões ativadas (Plano 2) do Exchange Online e do SharePoint Online e permitem que uma empresa implemente requisitos de retenção de mensagens e de descoberta eletrônica. O Office 365 Business não suporta estes.

O Office 365 ProPlus tem suporte à Diretiva de Grupo, por exemplo, se você deseja implementar um suplemento em uma organização, mas não quer ter que ir a cada máquina para fazer isso, então é isso que você usaria. O Office 365 Business não tem essa funcionalidade.

O Office 365 ProPlus oferece suporte ao Gerenciamento de Direitos de Informação, que funciona em conjunto com as opções do Gerenciamento de Direitos do Azure em alguns Planos do Office 365. O Office 365 Business não tem essa funcionalidade.

O Office 365 ProPlus inclui o InfoPath Designer, que é usado para projetar, distribuir, preencher e enviar formulários eletrônicos e pode ser usado em conjunto com o SharePoint Online. O Office 365 Business não inclui o InfoPath Designer.

O Office 365 ProPlus suporta a telemetria do Office; uma estrutura de monitoramento que pode acelerar as implantações do Office, ajudando a descobrir documentos e soluções essenciais do Office para empresas na empresa. O Office 365 Business não suporta isso.

O Office 365 ProPlus suporta a capacidade de bloquear armazenamento de arquivos baseado em nuvem por meio de uma edição do registro. Isso não pode ser alcançado no Office 365 Business.

Ou seja se você usar o Office básico use o Office business, se for usar recursos avançados ou usar área de trabalho remota usa o Office ProPlus.

Mais outras informações este link tem um mapa técnico que faz um comparativo entre Office 365 Business e Enterprise https://1drv.ms/x/s!An-dPolj_Ee_hoRlU3Q6_-uFzGYfHg

Fico a disposição

Amazon FSX – Seu FileServer na Nuvem

Olá pessoal

Hoje eu vou mostrar como montar seu servidor de arquivos na nuvem sem servidor. É seu servidor sem servidor com Amazon FSX. Ferramenta sensacional.

Mas Fábio eu não preciso de servidor para acessar o ambiente? Sim. É um serviço de plataforma baseada em instancia Windows.

Simples e totalmente gerenciado

Você não precisa mais se preocupar com a configuração e o provisionamento de servidores de arquivos e volumes de armazenamento, atualização de hardware, configuração de software ou execução de backups. Em minutos, você pode criar um sistema de arquivos totalmente gerenciado.

Compatibilidade nativa

Com sistemas de arquivos de terceiros totalmente gerenciados, você obtém compatibilidade nativa que suporta os recursos, desempenho e segurança do sistema de arquivos nos quais você confia hoje, sem necessidade de alterações em seus aplicativos.

Uma arquitetuta de ambiente em redes AWS

Uma arquitetuta de ambiente em VPN.

Integrações da AWS

O Amazon FSx integra os sistemas de arquivos de terceiros com serviços AWS nativos da nuvem, tornando esses sistemas de arquivos úteis para um conjunto ainda mais amplo de cargas de trabalho.

Para montar a plataforma é muito simples.

Coloque o nome do system name e defina o tamanho do volume que você irá usar.

O segundo passo é definir a rede, a zona e região que ele irá pertencer. Importante saber que por traz é uma instancia e totalmente gereciavel pela AWS.

Então você não se preocupa com a infraestrutura do ambiente.

O FSX exige que tenha um serviço de diretório para que faça as realizações de autenticação.

Crie o diretório.

O serviço de diretório tem 4 tipos de serviços, baseado em AD, Simple AD baseado em SAMBA, AD conector você pode integrar através de ADFS proxy o seu serviço e grupos de usuários do sérvio do AMAZON Cognito.

No caso estamos usando o serviço baseado no File Server Windows, então use o serviço baseado no AD.

OBS: O passo a passo do AD não está incluso aqui.

Como estamos fazendo um lab eu irei usar o serviço de tamanho pequeno, com dns fabiopereirasilva.local

Demora uns 25 minutos a criação do AD do Linux e mais ou menos 1 hora o AD do Windows, então tenha paciência.

Escolha o tipo de encriptação que será usado, neste caso o padrão default.

A manutenção é opcional, mas não arrisque, já mantenha uma política de backup já ativa para não ter problemas posteriores.

Verifiquei se esta tudo certo e crie o servidor.

Agora só aguardar a criação para dar sequência.

Pronto ambiente criado.

Vamos agora criar um diretório.

No serviço de diretório vamos criar uma pasta em Cloud Directory.

Criei a pasta teste123.

Para usar o serviço de fora da rede da AWS é preciso se conectar através de VPN.

Neste laboratório use uma maquina dentro da rede da AWS.

O método ai é igual ao tradicional.

net use H: \\fs-03d5694ee45130c14.fabiosilvapereira.local\teste123

Um exemplo de mapeamento via MSDOS.

Via meu computador

Mais informações a fonte é https://docs.aws.amazon.com/fsx/latest/WindowsGuide/migrate-to-fsx.html

Espero que com este post você seja capaz de usar o Serviço FSX da AWS.

Até a próxima.

Instancias reservadas Microsoft Azure

Para contextualizar, Instância Reservada (no Azure) não é um assunto novo, pelo menos não para aqueles que se dedicam ao assunto Cloud Computing há algum tempo.

O conceito de Instância Reservada já é bastante utilizado em outros países, até aqui no Brasil já teve espaço, embora tenha ficado de lado por algum tempo.

A novidade é que a Microsoft – talvez por conta da crise que atravessamos – decidiu dar maior ênfase ao assunto e tudo indica que agora as Instâncias Reservadas vieram para ficar e por isso já conseguimos fazer Reservas de Instâncias dentro do Azure aqui no Brasil

Não é a idéia deste artigo o aprofundamento deste assunto (parto do princípio de que você já sabe o que é Instância Reservada e uma Instância Comum), mas apenas tratar das regras existentes principalmente para aqueles que trabalham sob demanda, ou seja: com Licenciamento CSP (Cloud Solution Provider), usado pela grande maioria de parceiros com processos rápidos de venda.

Para quem está começando a pensar em migrar para o universo Cloud e quer fazer isso de uma forma conservadora, Instância Reservada é altamente recomendável, pois permite previsibilidade.

Ou seja: sabe-se exatamente quanto que se pagará ao final de cada período, não deixando o pessoal do financeiro de cabelo em pé.
Acredite, o pessoal do financeiro muito provavelmente irá gostar da Instância Reservada quando comparada ao modelo de contratação sob consumo Pay As You Go, principalmente quando descobrirem que o modelo Pay As You Go pode estourar com o fluxo de caixa e num cenário mais drástico “quebrar” uma empresa.

Mas a Instância Reservada seria apenas para quem está começando em Cloud?

Não. Quem já conhece e utiliza o modelo Pay As You Go, assim como CSP ou EA também pode ter vantagens financeiras.

Direto ao ponto: seja quem for portanto, ou Novatos ou Veteranos em Cloud, dependendo da estratégia é possível economizar até 82% quando comparada a uma Instância Comum. Isso mesmo: oitenta e dois por cento!

Não quer mais ter ambiente de hardware dentro da empresa? E quer estar na em cloud pagando um preço previsível? Então saiba que é possível, pois você pode escolher fazer um contrato de 1 ano ou 3 anos.

Dentro deste contexto é possível optar por Instância Reservada já com o sistema operacional, inclusive Linux, e pagar tudo junto, ou também optar em utilizar o valor do contrato de Software Assurance no modelo Cloud (para aqueles que já tem esse modelo com a MS), fazendo assim um mix de uso dos softwares que já se tem dentro da empresa e levando isso para a nuvem em uma Instância Reservada (isso faz cair bastante o preço)

Na imagem acima é possível um comparativo: Pay as you go, Instância Reservada e um mix perfeito de 82% de desconto

Se preferir escute o áudio (isso mesmo um áudio palestra) https://soundcloud.com/temporealeventos/instancias-reservadas-no-azure-audio-palestra-com-fabio-silva

E prepare-se, também será apresentado o outro lado desta mesma moeda e como usar a calculadora e precificar. Planejamento significa mais de 70% do sucesso !

Já ia me esquecendo, dia 4 de junho farei uma nova apresentação sobre Instâncias Reservadas, mas agora com o AWS

Mais informações e Inscrições: http://bit.ly/webcast-AWS-instancias-reservadas

Forte Abraço.

Limites do Office 365

Estou escrevendo este post do ponto de vista técnico, comercial que vai ajudar a você na adoção do Office 365.

Este link do Onedrive você pode baixar e já ter uma mapa de escolha simples do que tem e não tem em cada licença.

Abaixo se você quiser pode analisar com mais precisão o que cada licença faz e o que cada uma tem em cada modalidade.

O office 365 apesar de as pessoas terem uma visão de que é um produto SaaS facil ele é um tipo de lego e precisa ser montado.

Quanto mais você monta no perfil da sua empresa mais barato você vai pagar.

baixe o mapa.

Toda a documentação é oficial da Microsoft e são links que ajudam na escolha.

Segue um mapa técnico comercial que eu montei do Office 365, que nos ajuda nas escolha comercial e técnica de qual a versão mais adequada para minha empresa na escolha do Office 365.

Não confundam Microsoft 365 com Microsoft Office 365 que é outra linha de segurança da Microsoft que não se encaixa nos produtos do office. Ele faz parte do ECOSISTEMA. Mas são ferramentas diferentes.

O mapa te da a escolha, mas profundamente se quiser você pode consultar o mapa de limites dos produtos.

Este é um guia mais técnico que o pré-vendas ou até vendas pode consultar e decidir com o Pré vendas qual se encaixa na escolha do cliente.

LIMITES EXCHANGE ONLINE

LIMITES EXCHANGE ONLINE PROTECTION

A parte de segurança, onde mostra o que funciona e o que não funciona ne cada licença do Office 365

LIMITE SHAREPOINT ONLINE

LIMITE SKYPE FOR BUSINESS

OBS: Lembrando que o Skype for business esta sendo descontinuado na família Office 365 e está sendo substituído pelo Microsoft Teams.

LIMITE TEAMS

Consulte e qualquer dúvida fico a disposição

Entendendo a arquitetura do kubernetes

Como funciona o Kubernetes

Olá pessoal, mergulhando em outros cenários estamos aprofundando sobre Kubernetes.

Postando agora como funciona a arquitetura do Kubernetes.

Em resumo o Kubernetes é o orquestrador de container onde melhora a gestão dos containers.

Imagina você realizando a gestão de 300 containers na mão.

Imagino que para guardar comandos e manipular na hora de uma urgência seja necessário.

Mas para melhorar processos de trabalhos o k8S (kubernetes) seja essencial para seu trabalho.

Kubernetes Overview:

  • Kubernetes é uma plataforma de gerenciamento de contêineres
  • Criado pelo Google
  • Escrito em Go / GoLang
  • Também conhecido como K8s


     

    Master Node

    Master é o plano de controle ou o cérebro do cluster k8s. Um mestre é composto por alguns componentes:

  • api-serve r – Expõe a API REST para falar com o cluster k8s, consome json, somente o api-server fala com o Cluster Store.
  • Armazenamento de Cluster (KV) – Gerenciamento de estado e configuração de cluster.
  • Agendador – Observa o api-server para novos pods e atribui o nó ao trabalho
  • Controller – Um daemon que observa o estado do cluster para manter o estado desejado.O exemplo é o controlador de replicação, o controlador de espaço de nomes, etc. Além disso, ele executa a coleta de lixo de pods, nós, eventos etc.



  • Kubelet – k8s agente que registra nós com cluster, assiste api-server, instancia pods, reporta de volta ao api-server. Se o pod falhar, ele reporta ao master e o master decide o que fazer. Expõe a porta 10255 no nó
  • Container Engine – Ele faz o gerenciamento de contêineres, como puxar imagens, iniciar / parar contêineres. Normalmente, o Docker é usado para o tempo de execução do contêiner.
  • kube-proxy – Responsável pela rede, Fornecer IP exclusivo para Pods, Todos os contêineres em um pod compartilham o mesmo IP, Saldos de carga em todos os pods em um serviço


    Pods

  • Um ambiente para executar contêineres
  • Tem pilha de rede, namespaces do kernel e um ou mais contêiner em execução
  • Recipiente sempre corre dentro de um pod
  • Pod pode ter vários contêineres
  • É a unidade de escalar em k8s


    Serviços

    Os pods vêm e vão com diferentes IPs. Para distribuir carga e atuar como uma única fonte de interação para todos os pods de um aplicativo, o serviço desempenha o papel.

  • Tem um único IP e DNS
  • Criado com um arquivo JSON de manifesto
  • Todos os novos pods são adicionados / registrados ao serviço
  • Qual pod deve ser atribuído a quais serviços são decididos pelos rótulos
  • serviço e pods têm rótulos com base em qual serviço identifica seus pods
  • envia tráfego apenas para pods saudáveis
  • serviço pode apontar coisas fora do cluster
  • usa o tcp por padrão (o udp também é suportado)


    Deployments ou implantação

    É um objeto k8s cuja tarefa é gerenciar pods idênticos executando e atualizando-os de maneira controlada.

  • Implantado usando o manifesto YAML / JSON
  • Implantado via api-server
  • Fornecer atualização de pods
  • Fornecer reversões


    Arquitetura


    Fluxo Geral

  • O kubectl grava no servidor da API
  • O servidor de API valida a solicitação e a persiste para o armazenamento de cluster (etcd)
  • Armazenamento de Cluster (etcd) notifica o servidor de API de volta
  • O servidor de API chama o agendador
  • O agendador decide onde executar o pod e retorna isso ao servidor de API
  • API Server persiste para o etcd
  • O etcd notifica o servidor da API.
  • O servidor de API chama o Kubelet no nó correspondente
  • Kubelet fala com o daemon do Docker usando a API sobre o soquete do Docker para criar o contêiner
  • Kubelet atualiza o status do pod para o servidor da API
  • API Server persiste o novo estado no etcd

     

    Espero que tenha compreendido e vamos para mais postos sobre Kubernetes.

    Até mais galera.

Project THOR

Technical and Human infrastructure for Open Research

randieri.com

Il blog di Cristian Randieri

TEC OFFICE PRODUTIVO

Tec Office Produtivo é um grupo de treinamentos, dicas e tutorias de informática sobre aplicativos utilizados em escritórios.

Gold Recipes

Gols Recipes

Escadas Especiais

Projetos, fabricação e instalação de escadas em geral

Jaqueline Ramos

Devops & Cloud

Blog do Douglas Romão

MVP Office Apps and Services | Modern Workplace and Business Applications Expert