Softnas no Azure

Olá

Pessoal

Para quem gosta de utilizar softwares e Storages padrão igual ambiente onpremisses eu resolvi testar a instalação do SOFTNAS Cloud bem conhecido entre pequenas e médias empresas.

Softnas Cloud é um NAS Opensource usa protocolos conhecidos protocolos de bloco CIFS / SMB, NFS, AFP e iSCSI, permitindo que os clientes levantem os dados existentes para a nuvem sem uma reestruturação de aplicativos caros.

Esta versão é de teste que o Azure permite testar sem qualquer ônus. Para quem já conhece o SOFTNAS Cloud como eu faça o teste ou consulte o site do fabricante do Software.

Veja em https://azuremarketplace.microsoft.com/pt-br/marketplace/apps/softnas.softnas-cloud/

O objetivo deste Test Drive é permitir que você se familiarize mais com o SoftNAS Cloud em Microsoft Azure. Nesta unidade de teste do SoftNAS Cloud, tornamos mais fácil para você visualizar

E experimente os recursos da SoftNAS Cloud e descubra a facilidade de configurar o armazenamento comum Protocolos dentro da interface de usuário do SoftNAS Cloud.

Para fazer isso, fornecemos-lhe uma Máquina virtual de nuvem SoftNAS (VM) hospedada no Azure. Preconfiguramos um único disco, pool de armazenamento e volume provisionado como um NFS

Exportação, compartilhamento CIFS, compartilhamento iSCSI LUN e protocolo Apple File Protocol (AFP). Esta configuração poderia facilmente estendida, simplesmente adicionando mais discos, volumes e pools, para atender uma

Aplicação da organização e serviços de usuários finais. A flexibilidade da SoftNAS Cloud nos permite atender aos requisitos de um cliente, simplesmente mudando as propriedades de computação e capacidade de armazenamento. O resultado final dessa configuração parece semelhante à imagem abaixo:

Primeiro passo no Azure, entre no Site do Marketplace clique em Test Drive caso não tenha assinatura. No meu caso eu tenho assinatura mas irei usar o TEST DRIVE.

Aceite os termos do teste

Realmente demora alguns segundos para ser criado. Ele já libera o acesso com usuário e senha concedido e dura 30 dias de teste.

Acesse com o usuário e senha concedidos e o endereço informado.

Este passo quem já realizou a instalação tem alguns procedimentos do software.

Pronto, o Softnas está liberado para ser configurado para o uso.

Claro como o ambiente é de teste foi liberado pouco espaço para os testes, mas que vale a pena para quem quer utilizar de modo tradicional a nuvem e claro o Azure.

Softnas faz parte do programa TEST DRIVE no Azure, veja mais hein https://ctlabsn.blob.core.windows.net/57f32919137340839431fd9187b0e796/demo%5Csoftnas-cloud-nas%5Cartifact%5Ctutorialdocument%5Cdocument1.pdf

Pessoal, façam o TEST DRIVE que vale a pena.

Até o próximo POST.

Valeu

Anúncios

Visual Studio, Deploy Máquina Virtual Azure

Para quem está iniciando ou está utilizando plataforma de nuvem como o Azure, quer ser ágil e iniciar a cultura DEVOPS, o visual studio é a ferramenta aliada a infra “AGIL”.

Hoje quando falamos de agilizar processos e melhorar tempo de projeto o Visual Atudio será seu amigo de notebook ou Desktop.

Irei mostrar um passo a passo para um deploy de máquina virtual no Azure.

PRIMEIRO PASSO.


Iremos abrir a ferramenta no menu Conectar a uma subscrição do Azure.

É bem simples, é a mesma conta do Azure

Conecte na conta do Azure

Após a sua conexão ele exibe suas assinaturas e os serviços que o Azure tem conectividade através do Azure. A caixa do lado esquerdo mostra os serviços do Azure e do lado direito está mostrando as assinaturas do Azure e as regiões que você pode criar os serviços.

Como estamos a criar uma infra ágil vamos realizar um deploy de máquina virtual.

Vamos clicar com botão direito do mouse em Virtual Machines e ir em create Virtual Machines.

Vamos escolher a subscrição que iremos usar.

A escolha do sistema operacional é bem simples e bem didático. Escolha e clique em NEXT.

O próximo passo é o mesmo passo que temos para criação do nome da máquina, usuário e senha.

Este passo iremos criar o serviço de Cloud Service.

Cloud Services criado iremos para o próximo passo. Lembrando que este Deploy esta baseado em ASM.

Como estamos criando baseado em ASM este passo irá mostrar as portas que serão liberados para acesso. No caso Powershell remoto e RDS.

Aguardo o deploy ser concluído.

Deploy concluído e maquina pronta para ser acessada.

Veja no Visual studio que a maquina está em ASM ela é diferente das ARMS.

Pelo próprio Visual Studio podemos conectar via RDP.

Acesse com usuário e senha criados.

Pronto, sua maquina criada e provisionada através do visual studio.

O tempo de criação é bem mais rápido do que no Tenant.

Então Visual Studio aprovado para quem está adotando cultura DEVOPS e melhorar tempo de projeto.

Veja no Azure que a máquina foi criada com êxito.

Próximo post máquina virtual em modo ARM.

Até a próxima

Azure Virtual Machine Scale Set (Autoscaling)

Olá pessoal

Virtual machine Scale set foi feito para sustentar sua aplicação em alta disponibilidade.

Foi feito para cargas para aplicações que não podem ficar fora do ar.

Então vamos lá.

Para entender como é criado temos que ver uma arquitetura de exemplo e os serviços que são incluídos.

Referencia: https://docs.microsoft.com/pt-br/azure/architecture/reference-architectures/virtual-machines-windows/multi-vm

São criados 2 instancias computacionais ou mais, availability Set, um load balancer para balanceamento de carga e precisa de um gatilho para alavancar de forma horizontal.

Para iniciar a criação busque como VMSS ou ScaleSet.

O modelo de criação é em ARM (Azure Resource Manager) grupo de recursos do Azure.

Este passo é bem simples, bem parecido de uma criação de maquina única. Criar o nome do recurso, o sistema operacional, usuário e senha, grupo de recursos e a localidade das maquinas. Em especial o “Limit to a songle placement group”

Se for verdade (True), o conjunto de escala será limitado a 1 grupo de posicionamento e pode ter uma capacidade máxima de 100. Se for falso(false), o conjunto de escala pode incluir grupos de posicionamento. Isso permite que a capacidade seja para 1000, mas altera as garantias da escala definida.

O segundo passo é definir o ip do loadbalancing criar o labe, e definir o numero de maquinas, discos gerenciados, o numero de VMS que estarão na autoescala.

Ainda no mesmo passo o autoscaling funciona com nível de processamento no threshold que é o intuito principal deste post, o número de VM que vai crescer horizontalmente, e a escala de diminuição.

Estes são os passos básicos para a criação de um LAB simples.

Valide e sempre baixe um modelo para criação via script, pois você pode incrementar mais situações de necessidade do seu negócio.

Veja modelo Powershell

Veja modelo Azure CLI 2.0

Veja modelo .NET via Visual Studio

Para baixar direto também os modelos só acessar o link antes de dar o OK e realizar as alterações necessárias.

Aguarde a implantação

Após a implantação no resource group ele mostra este serviço de maquinas virtuais, load balance, vnet e endereço ip. Vamos acessar cada um para você ver em detalhes.

É preciso startar para acessar a maquina virtual, veja o resultado da criação. Inicie para acesso.

Para acessar a maquina virtual no caso da criação foi Windows o load balance faz redirecionamento para as portas acima. Iremos acessar RDP na porta 50000

Acesse o servidor Windows.

Pronto, você já está com acesso ao ambiente com autescala.

Veja regra de NAT criada no lado balance e futuramente você realizar alterações de acesso como criação de porta 80 e 443 para ambiente WEB.

Espero que tenha contribuído com este post.

Hyper-V no Azure

Olá pessoal

hvaz

No ultimo dia 13 de julho foi anunciado a feature de Hyper-v nas novas maquinas do modelo D versão 3 e maquinas do modelo E.

Veja o link na Integra https://azure.microsoft.com/pt-br/blog/nested-virtualization-in-azure/

Os modelos D de versão 2 e modelos E foram lançados permitindo instalação da feature famosa de virtualização Hyper-V lhe dando a liberdade imensa de usar de forma particular suas maquinas virtuais com mais segurança no Azure.

Veja a arquitetura:


Irá permitir levar seu legado, ou seus conteiners Dockers com mais liberdade. Para quem usa Vcenter com uma VPN do Azure, isso irá permitir que diminua seu capex. Isso são alguns exemplos de como aumenta o leque de uso no Azure e com baixo custo.

São maquinas super rápidas de nova geração.

E para não perder realizei os testes para conferir.


Criei a maquina modelo D2 versão 3 com 8GB de memória para testarmos.

Veja o vídeo de demonstração com Ubuntu virtualizado.

As maquinas de memoria otimizada dos modelos (D11-D14) tornou-se dos modelos Ev3. Estes novos tamanhos introduzem a tecnologia Hyper-Threading rodando no processador Intel® Broadwell E5-2673 v4 2.3GHz e o Intel® Haswell 2.4 GHz E5-2673 v3. A mudança de núcleos físicos para CPU virtual (vCPU) é uma mudança de arquitetura de chave que nos permite desbloquear todo o potencial dos últimos processadores para suportar tamanhos de VM ainda maiores.

Ou seja foram liberados para utilizar mesmo no Azure Hyper visor virtualizando com Hyper-V

Espero que gostem da demonstração.

Até mais pessoal


Instancia Windows EC2 AWS.

Olá pessoal

Da série multicloud hoje irei demonstrar e passar um passo a passo de como provisionar uma máquina Windows na AWS.

Selecione o Sistema Operacional que em nosso caso o objetivo é Windows.


Escolha o tamanho da instancia que no caso escolhi no modelo free tier que garante um período de gratuidade.

Veja o período e serviços que estão em https://aws.amazon.com/free/.

E preciso criar a VPN (Rede privada Virtual), a Subnet como sequência para uso no AWS.

Após a sequência de criado de VPC e elementos de rede temos os elementos de ip e para acesso. E atribuído um ip de forma dinâmica associada a placa de rede (network Interface).

Esta sequencia e a escolha do disco EBS. No caso dou escolhido um disco SSD.

Voce pode adicionar TAG para identificar trafego e cobranca no caso se voce vende um servico ou divide servicos por departamento dentro da empresa.

Neste passo você escolhe a proteção de firewall de porta no AWS que e o serviço de security group. Neste caso liberado a porta RDS (Remote Desktop Services).

Este passo mostra todos os pontos da instancia, com a imagem da máquina, instancia, segurança, storage e a tag da máquina.

Esta parte e importante pois voce ira gerar a chave para acesso ao servidor. Voce criar a chave para acesso e faz o download

Faca o download da chave e salve na sua área de trabalho.

O provisionamento será iniciado. Aguarde a conclusão.

Maquina provisionada para acesso.

Faça o download para acesso ao servidor.

A chave de acesso que voce salvou na sua maquina

Faça o upload da chave, escolha o arquivo.

Faça o Download para acesso.

Acesse o ambiente do Windows na AWS.

Pronto o acesso ao ambiente foi concedido.

No próximo post mais AWS.

Abraços

DISKPART

ms-dos

O Diskpart um dia vai salvar a sua vida.

E já salvou a minha.

Bem simples mas vale o post.

Nao só através do MSDOS ou pelo POWERSHELL RESOLVE.

Abra o DOS salvador ou o Powershell.

  1. No Prompt digite DISKPART, quando ele abrir aparecera escrito DISKPART a esquerda.
  2. Digite LIST DISK, esse comando ira listar os HDs instalados na máquina, preste muita atenção para não escolher o HD errado.
  3. Digite SELECT DISK “X”, no lugar do X colocar o número referente ao HD que deseja formatar, colocar sem aspas.
  4. Agora basta digitar os comandos abaixo.
  5. CLEAN
  6. CREATE PARTITION PRIMARY
  7. SELECT PARTITION 1
  8. ACTIVE
  9. FORMAT FS=NTFS QUICK
  10. ASSIGN
  11. EXIT
Após o comando ASSIGN, o Windows reconhecer o HD ou disco externo.
Veja a sequencia na integra:
discpart
Aguardar e utilizar o disco, ou o pendrive ou disco externo.
Vale ressaltar que em fat32 também pode ser formatado.
Vale para Windows 7, 8, 10 e Servers ate o 2016.
Ate mais.

Azure Active Directory B2C

Olá pessoal

Um dos tópicos que cai na 534, eu resolvi postar o passo a passo para reforço de guardar as informações em detalhes.

Active Directory Business to Costumer.

Ele permite que você coloque a sua marca em primeiro lugar.

A flexibilidade é uma parte fundamental do Azure Active Directory B2C. Você pode escolher entre duas opções de configuração para se adequar às suas necessidades. Use políticas internas para criar uma experiência de logon em minutos. Para cenários mais complexos, use nossa estrutura de experiência de identidade para criar políticas personalizadas e integrar com bancos de dados de CRM, ferramentas de análise de marketing e sistemas de verificação de conta.

  • Contas Sociais (como Google, LinkedIn, Facebook e muito mais)
  • Contas Corporativas (usando protocolos de padrão aberto, SAML ou OpenID Connect)
  • Contas Locais (endereço de email e senha ou nome de usuário e senha)

Para uso em ambiente em que seu APP desenvolvido pode ter autenticação através de seu AD sincronizado e uso de autenticação através de outros meios como Facebook, LinkedIn, Google, OpenID e outros.

Para iniciar entre no portal do Azure ative o processo de B2C como AD Premium, Acesse Azure AD B2C


Crie um subdomínio dentro da sua tenant para fazer a gestão do AD B2C

Após criado ele irá exibir as informações pertinentes ao AD B2C, como o grupo de recursos, a localização escolhida o nome do domínio dentro da tenant e assinatura.

No caso eu escolherei uma conta minha do Google para ver como funciona a autenticação com B2C com o Google, e através deste exemplo você pode seguir igual aos outros autenticadores com Facebook, LinkedIn e outros.

Siga os passos e no campo de ID do cliente adicionei meu e-mail do Google e obviamente a senha.

Este passo ele está validando a conta do google.

O novo usuário será inserido na lista do AD do Azure.

Após inserido você pode personalizar o acesso como um comentário de mensagem pessoal a conta.

Veja a conta inserida já na lista de contas do AD como B2C para autenticação.

Uma das premissas para a conta ter êxito e preciso ser associada a uma Microsoft Account. Então cadastre sua conta.

Valide a conta para garantir a integridade de uma conta Microsoft.

Para autenticar e preciso acessar o portal do Azure pelo menos para validar que funciona. Acesse e autentique com a conta do Google.

O mesmo vale para outros autenticadores homologados.

Pronto. Monte ou desenvolva sua aplicação e autentique como B2C no Azure.

Mais informações para o lado do desenvolvedor e de linguagens ou API você pode ver este gráfico.

Em seguida, escolha seu cenário de desenvolvimento de aplicativo:


Aplicativos móveis e de desktop

Visão geral                

iOS

Android

.NET

Xamarin


Aplicativos Web

Visão geral

ASP.NET

ASP.NET Core

Node.js


Aplicativos de Página Única

Visão geral

JavaScript


APIs da Web

ASP.NET

ASP.NET Core

Node.js

Chamar uma API Web do .NET

 

Você também pode consultar a fonte https://docs.microsoft.com/pt-br/azure/active-directory-b2c/active-directory-b2c-overview

Dica e cai na prova.

Espero ter ajudado.

Até o próximo post.

Passei na 534! E ai?

 

Passei na prova 534 em arquitetura para Azure.

Pesquisei blogs de alguns caras que passaram na prova, mas acredito que cada um teve sua experiência e sentimento na hora que passou, e o meu não foi diferente.

Capture.PNG

A prova foi extremamente difícil pois abrange cenários de alguns ambientes Azure.

A prova tem 50 perguntas e foi inserido nossa língua nativa com acesso ao inglês no que facilitou os enunciados. Ou seja, em PT-BR e EN-US.

Muito ainda tem no que melhorar em relação ao conhecimento de termos técnicos do tipo “Aplicação WEB e WEBAPP” estamos falando da mesma coisa.

Então apesar de sempre estar tecnicamente e obrigatoriamente estar alinhado com o inglês muitos dos meus conhecidos e amigos não se familiariza com um portal do Azure em Português.

Como eu tenho 2 tenants com 2 subscrições diferentes eu exercitei as 2 línguas e saber dos produtos e serviços do Azure em PT-BR e EN-US. Isso é um exercício meu, mas que deu certo para a prova.

Em relação aos estudos quem quer seguir os famosos “DUMPS” que Deus te ilumine pois não vale de nada pois a prova é bem interativa.

O que eu segui foi o material do livro da SEGUNDA EDIÇÃO da 534

livro.PNG

Vende no site Microsoft Press e outras livrarias online.

Segui a risca o enunciado do site https://www.microsoft.com/pt-br/learning/exam-70-534.aspx, item por item:

Projetar rede do Gerenciador de Recursos do Azure (ARM) (5–10%)Proteger recursos (20–25%)Criar armazenamento e estratégia de acesso aos dados do aplicativo (5–10%)Projetar aplicativos avançados (20-25%)Projetar Aplicativos da Web e Móveis do Azure (5–10%)Criar gerenciamento, monitoramento e estratégia de continuidade dos negócios (20–25%)Arquitetar uma infraestrutura de computação do Azure (10–15%)

Caiu tudo em detalhes tudo que está nestes tópicos acima em detalhes.

Um grande detalhe que eu acharia que não cairia pra você ver, que foi tudo em detalhe mesmo foi um pergunta sobre “service fabric”. Pois então estude e com força.

Eu li em detalhes tudo que estava em https://docs.microsoft.com/pt-br/azure/index#pivot=services&panel=all 

Computação, Banco de dados, Rede, Armazenamento, Web e Celular, Segurança e identidade, Ferramenta de Desenvolvedor (Visual Studio), Internet das coisas (caiu uma pergunta) e tive certeza que acertei, Monitoramento e gerenciamento. Só não caiu nada de Serviços Cognitivos. O resto simplesmente caiu tudo.

A prova dura 2h30, e só finalizei faltando 2 minutos para acabar.

Os cenários não tem como revisar no fim, você responde as perguntas e revisa após terminar cada cenário para passar para as próximas perguntas ou o próximo cenário. Então a recomendação é que estude.

Outro ponto que acho bastante valido é entrar no site OpenEDX https://openedx.microsoft.com/ e ver todos os videos sobre Arquitetura de Azure https://openedx.microsoft.com/courses/course-v1:Microsoft+DEV205Bx+2017_T2/about

Eu como tenho acesso ao Azure eu fiz bastante exercicios em WEBAPP, Banco de dados, Maquinas virtuais com alto escaling e active directory B2B e B2C.

Isso ajudou bastante pois você põe na pratica os exercícios e os videos do OpenEdx.

Foi investido umas 40 horas de estudo entre ler e ver os videos, mas que valeu a pena.

Fico a disposição pessoal

Até mais

Moodle no Azure (PaaS)

Olá pessoal

Hoje irei demonstrar como provisionar o Moodle no Azure.

A demonstração e a ferramenta que já existe no Marketplace.

O Moodle é um Sistema de Gerenciamento de Aprendizagem (LMS) que fornece aos educadores ferramentas como recursos, fóruns, questionários, tarefas, objetos de aprendizagem, pesquisas, pesquisas, coleções de dados, lições, wikis e projetos para que eles possam construir cursos baseados na web sobre qualquer Tópico e, em seguida, convide estudantes para esses cursos. O Moodle possui muitos recursos de gerenciamento, como grupos, cadernos, relatórios, papéis personalizados, importação / exportação / arquivamento, pagamentos e integração com muitos outros sistemas. O Moodle é um software PHP, mas funciona em quase todas as plataformas e a maioria dos tipos de banco de dados.

LEMBRANDO QUE TODO PROVISIONAMENTO E COMO PLATAFORMA. Webapp e banco de dados Mysql.

O Segundo passo iremos deixar configurado o acesso ao sistema pelo navegador e o banco de dados como serviço PaaS. Coloque a senha e confirme a senha para acesso ao banco de dados ou manutenção posteriormente.

Aguardar o provisionamento.

Aguardaremos a instalação do APP que também sera provisionada, junto com o banco.

Veja que a plataforma foi criada em WEBAPP, Azure database Mysql

O Moodle já vem pre instalado e daqui para frente e seguir com a transformação do Moodle.

Importante verificar se todos os módulos do PHP estão já ativos , se não e preciso via portal realizar as configurações.

Lembrando que estamos realizando tudo como PaaS e para o administrador quanto o desenvolvedor da ferramenta Moodle muda a forma de lhe dar com a ferramenta.

Interessante sempre estar alinhado com documentações do Azure e do Moodle.

Azure Moodle (https://azuremarketplace.microsoft.com/en-us/marketplace/apps/AppDirect.Moodle?tab=Overview)

Pessoal, espero que tenham gostado.

Acessem meus canais para contato comigo.

Obrigado

Aumentar ou diminuir VM no Azure

vm

Ola pessoal

Um recurso bem simples de fazer no Azure e aumentar ou diminuir o tamanho da máquina.

Irei demonstrar com um Ubuntu e com um Windows.

Veja que estou conectado em um console do Ubuntu Server.

Veja que o modelo da Linux A1 eu irei aumentar para D2. Veja vídeo abaixo.

Do Windows e exatamente a mesma coisa.

O Windows demora um pouco mais, mas é bem simples a demonstração do poder e a facilidade de realizar o crescimento de uma máquina no momento em que você quiser.

Hoje em um processo de VPS tem diferença pois voce precisa acionar suporte para o aumento ou diminuição da maquina virtual.

O processo de diminuir e o mesmo.

Veja o vídeo

Espero que gostem.

Ate o próximo post.