Arquivo da categoria: Virtualização

Solução home office de sugestão

Olá pessoal

Solucao simples.

Solução simples em Azure, custo baixíssimo. Windows 10 pro, maquina D2v3 acessando com recurso Samsung Dex. O Samsung ele ativa o modo desktop e é sensacional. Sem investimento de thinclients. Hoje temos celulares que faz que nem você imagina. Esta solução você pode fazer também investimento baixo com um simples raspberry com S.O Adaptado para o hardware, o raspbian originário do Debian. Pronto, temos um kit para home office.

Veja imagens abaixo.

Laboratório com Windows 10 no Azure

Samsung Dex

Veja imagens abaixo:

Samsung Dex custa em Media R$300,00

Você também pode investir em um Raspberry PI que esta na mesma faixa de preço.

Se caso for comprar mais de um rasp o valor cai.

Você não precisará investir em um sistema operacional pois ele será no Azure. Só o Raspbian com acesso protocolo RDP.

Espero ter ajudado com a Covid.

Não é fácil para as empresas investirem neste momento.

DISKPART

ms-dos

O Diskpart um dia vai salvar a sua vida.

E já salvou a minha.

Bem simples mas vale o post.

Nao só através do MSDOS ou pelo POWERSHELL RESOLVE.

Abra o DOS salvador ou o Powershell.

  1. No Prompt digite DISKPART, quando ele abrir aparecera escrito DISKPART a esquerda.
  2. Digite LIST DISK, esse comando ira listar os HDs instalados na máquina, preste muita atenção para não escolher o HD errado.
  3. Digite SELECT DISK “X”, no lugar do X colocar o número referente ao HD que deseja formatar, colocar sem aspas.
  4. Agora basta digitar os comandos abaixo.
  5. CLEAN
  6. CREATE PARTITION PRIMARY
  7. SELECT PARTITION 1
  8. ACTIVE
  9. FORMAT FS=NTFS QUICK
  10. ASSIGN
  11. EXIT
Após o comando ASSIGN, o Windows reconhecer o HD ou disco externo.
Veja a sequencia na integra:
discpart
Aguardar e utilizar o disco, ou o pendrive ou disco externo.
Vale ressaltar que em fat32 também pode ser formatado.
Vale para Windows 7, 8, 10 e Servers ate o 2016.
Ate mais.

Modelos de migração IaaS para Azure parte 01

Olá pessoal

Muita gente tem dúvida ou quer ter ideia de como levar seus, servidores, workloads e apps locais para nuvem.

Pois bem, o maior desafio e um administrador ou gestor é levantar informações para apresentar ao seu superior o investimento em capex que vai utilizar pelo menos nos próximos 5 anos.

Dependendo do levantamento o valor mesmo diluído pode até passar mais de 5 anos pagando seu capex através de financiamentos e o que investiu depreciou.

Isso é um tormento por que passa os 5 anos e novamente seu parque de hardware e software está ultrapassado.

E vai além por que dependendo do tempo você estende para mais tempo perdendo até em conhecimento e atualização de capacidade do time de TI.

A nuvem traz capacidade de investimento baixo inicial, capacidade de crescimento rápido, sazonalidade e elasticidade.

A orientação que estamos passando independe de nuvem e neste post irei mostrar como podemos decidir levar seus insumos para o Azure.

Normalmente o cliente quer levar “AS IS”, ou seja quer levar do jeito que é seu parque.

Mas para otimizar e melhorar o uso e adoção para jornada para nuvem o aconselhamento é analisar o quanto cada servidor ou aplicação está consumindo.

Quando você trabalhava com seu ambiente de hardware puro você avaliava o quanto sua aplicação estava consumindo e comprava um hardware com o dobro da capacidade para manter o ambiente com performance e espaço.

Depois veio a era da virtualização e já melhorou e deu disponibilidade de o ambiente ser migrado para outro ambiente de host com mais flexibilidade e rapidez de transferência de um host para o outro. Não se preocupando muito com o tamanho da máquina e mantendo ainda performance e espaço.

Com o advento da nuvem recebemos o boom da transformação e avaliar realmente o que pode ser feito e avaliar em detalhes o que o seu servidor esta consumido em alguns pilares:

  1. CONSUMO DE PROCESSAMENTO
  2. CONSUMO DE MEMORIA
  3. CONSUMO DE ESPAÇO EM DISCO
  4. CONSUMO DE I/O DE DISCO
  5. CONSUMO DE BANDA

Estes 5 pilares te credenciam preferencialmente em ambiente Iaas (Infraestrutura como serviço) a garantir que você terá um custo baixo com boa performance.

Para isso irei mostrar 2 ferramentas que você pode utilizar para avaliar ir para nuvem com saúde e performance.

Microsoft Azure Virtual Machine Readiness Assessment.

Esta ferramenta lhe traz um relatório e lista de verificação bem detalhado de Workloads e Servidores que estão prontos e gabaritados para nuvem Azure.

Para baixar esta ferramenta clique neste link https://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=391029&clcid=0x416

Instale a ferramenta que é bem simples e siga os passos.

Aguarde a instalação finalizar.

Ferramenta finalizada agora vamos analisar.

A ferramenta permite que eu faça analise de um ambiente Active Directory, SQL Server e Sharepoint.

Ele checa requisitos do ambiente para que você possa coletar de forma correta.

Alguns requisitos de banda são necessários para a analise.

Requisitos de Firewall são necessários para que a ferramenta possa analisar de forma correta.

Requisitos de localidade são importantes para que sejam criados ambiente no Azure.

Muito importante informa se o ambiente é de produção, dev ou teste.

Importante se o que você irá levar para o Azure será dados ou a imagem VHD e se os requisitos cobrem a levar imagem de sua máquina virtual ou física local.

Como mencionei acima é importante se a sua aplicação tem participação no uso de I/O de disco para que seja escolhido de forma correta os modelos de maquinas no Azure.

Se seu ambiente tem DR (Disaster Recover)

Neste caso está sendo coletado dados de um ambiente de Active Directory.

Finalizado irá gerar um relatório.

Salve em um diretório onde possamos ver o relatório de laboratório.

O relatório eu coloquei neste link para ser analisado que é montado um template com informações do Active Directory e através dele é possível informações de objetos de dados de servidores da sua rede.

Baixe aqui https://1drv.ms/w/s!An-dPolj_Ee_g5Qw45EZwP5FkwkErg

Fique ligado no próximo post

Até mais

Infografico tudo sobre Contêiners

O Site Lab27 lançou um infográfico muito interessante e completo com tudo sobre Contêineres Dockers e abordagens que estão relacionadas.

Em resumo Docker é um projeto OpenSource que fornece uma plataforma para desenvolvedores e administradores de sistemas permitindo que se crie contêineres leves e portátil de diversas aplicações.

Sua funcionalidade permite adicionar e simplificar o uso, dos linux contêineres (LXC), que são, basicamente, uma forma de isolamento de processo e sistemas, quase como virtualização, porém mais leve e integrada ao host. O Docker permite criar aplicações e “contêineres” que isolam o S.O base e todo a pilha de dependências de seu app (libs, servidores e etc) de forma leve em espaço e performance.

Veja mais informações em https://www.docker.com/.

conteiners

É um infográfico bem completo e vai ajudar a você a memorizar e entender como funciona.

Segue link abaixo para você baixar:

http://lab27.blob.core.windows.net/wordpress/2016/10/Windows-Server-Container-Infographic-BRZ.pdf?linkId=30163695&wt.mc_id=AID520771_EML_4722229

Até mais pessoal.

 

SDN e NFV a rede também é cloud

sites-de-relacionamento-2
Você tem ouvido bastante sobre Nuvem, Cloud, virtualização, Devops, biomodal e outros assuntos de transformação digital.

Você sabe o que é SDN e NFV?

Vamos la!!!!

Ou Seja, para o lado do cliente como já temos a definição o lado cliente já usa ou prezumo que use SDN já a algum tempo.

Vou resumir nesta imagem abaixo:sdnxnfv

Este é um infográfico Macro de como poderia funcionar NFV e SDN.
Hoje as grandes Clouds como Azure, AWS e Google já trabalham com redes definidas por software como:

092815_1745_Odlareanuv2.jpg

CLOUD:
Virtual Network do Azure virtualnetwork
VPC Amazon vpc
Redes no Google redes

Em ambientes Onpremissess:

Switch Virtual Hyper-V switch_virtual

Vswitch Vmware vswitch

Vswitch de mesmo nome do Vmware vswitch_x

E o Quantum ou Melange no Openstackquantum

A redes virtuais estão se popularizando agora com os hardwares mais atualizados como placas de redes 10GB em servidores simples e mais baratos e golden jumpers, diminuindo o CAPEX e consequentemente o OPEX.

As empresas como CISCO, Juniper também estão se alinhando ao mercado desenvolvendo seus dispositivos virtuais, mas o que está em alta é plataformas Opensource.

Consequentemente os profissionais de redes aconselho a se atualizarem pois o mercado está empurrando as atualizações.

ms_loves_linux

Vide a Microsoft com logos de Microsoft é melhor com Red Hat ou Microsoft ama Linux. Redes Virtuais do Azure com Debian. Windows 10 com Shell em Ubuntu. Tudo isso com seu revolucionario CEO Satia.

As “Coisas” estão se fundindo para passar em um fio ou cano só. O que tem dentro ou você aprende ou vai ficar para traz.

download

NFV

As operadoras acordaram e agora e ainda precisam se reorganizar com a iniciativa do OPENFV veja o site (https://www.opnfv.org/).

Aqui no Brasil o motor de desenvolvimento de redes virtuais é o openstack.

Ainda está embrionário, mas acordaram, o volume de dados não comportam mais os investimentos e as TELCOS acordaram tarde. Mas agora estão se mobilizando.

O que nós profissionais ganhamos com isso?

keep-calm-porque-hoje-ganhamos.jpg

Para quem gosta de LINUX todos motores são desenvolvidos em sistemas operacionais Linux. Isso quem quer correr e aprender mais linux faça isso agora.

Em compensação tudo estará mais convergente, mais automatizado, mas orquestrado.
Então quem acha que as Teles irão contratar milhões de profissionais fique tranquilo que não.

Iniciativas como OPENFV são desenvolvimentos que vão melhorar os custos de CAPEX em investimentos e hardwares como roteadores, switches e outros devices.

Estão melhorando desenvolvimentos de protocolos e logo logo pelo menos fora do pais vocês irão ouvir novas telcos revolucionarias.
Aqui no Brasil ainda é muito difícil falar pois as operadoras ainda nadam de braçadas dominando o mercado.

Espero que este post seja aconselhador.

Abraços

 

 

 

 

 

Exame

Notícias do Brasil e do Mundo. Economia, Política, Finanças e mais. ➤ Entrevistas, Análises e Opinião de quem entende do Assunto! ➤ Acesse!

Project THOR

Technical and Human infrastructure for Open Research

randieri.com

Il blog di Cristian Randieri

TEC OFFICE PRODUTIVO

Tec Office Produtivo é um grupo de treinamentos, dicas e tutorias de informática sobre aplicativos utilizados em escritórios.

GOLD RECIPES.

GOLD RECIPES.

Escadas Especiais

Projetos, fabricação e instalação de escadas em geral

Jaqueline Ramos

Devops & Cloud