MINIO, o seu próprio S3, ou Object Storage – Pandemia


Instale e configure minio object storage server no CentOS Linux

Olá pessoal, mais um motivo para ajudar pequenas empresas nesta pandemia ou ajudar pequenos provedores a utilizar opensource como o Minio.

Neste tutorial, vamos instalar e configurar o servidor Minio.

O que é Minio?

Minio é um servidor de armazenamento de objetos compatível com o protocolo S3, compatível com AWS, escrito em Go.

Ele pode ser usado para armazenar qualquer objeto como fotos, vídeos, arquivos de registro, backups, etc.

Você pode utilizar como se fosse seu próprio servidor de object storage como o S3 da AWS e outros object storages.

Instale minio no Centos Linux

Eu useu o Centos por ele ser estável e 100% opensource.

Neste exemplo, instalaremos o Minio para /opt/minio, e o configuraremos para ser executado como um serviço igual os object storage de clouds.

OBS: Já me perguntaram se ele aguenta uma carga grande de armazenamento, ou performance. Eu respondo, se você tiver profissional capacitado, hardware e sizing e ambiente apropriado para estabelecer eu digo que sim. Tudo depende como arquitetar e usar o melhor de cada serviço.

Vamos começar?

Parto do pressuposto que você já conhece sistema operacional linux ou equivamente para trabalhar com o serviço.

1. Adicione um usuário de minio

1 useradd -s /sbin/nologin -d /opt/minio minio

2. Configurar diretórios

1 mkdir -p /opt/minio/bin
2 mkdir /opt/minio/data # this will be your data partition

3. Instale o servidor minio binário e defina-o como executável. Neste exemplo usamos o binário Linux x64.

1 wget https://dl.minio.io/server/minio/release/linux-amd64/minio -O /opt/minio/bin/minio
2   
3 chmod +x /opt/minio/bin/minio

4. Crie um arquivo minio config

1 vim /opt/minio/minio.conf

:

1 MINIO_VOLUMES=/opt/minio/data

5. Certifique-se de que todos os arquivos são de propriedade do minio em /opt/minio:

1 chown -R minio:minio /opt/minio

6. Adicione arquivos de serviço do minio

Nota: o arquivo de serviço abaixo foi adaptado de: https://github.com/minio/minio-service/tree/master/linux-systemd

1 vim /etc/systemd/system/minio.service

:

1 [Unit]
2 Description=Minio
3 Documentation=https://docs.minio.io
4 Wants=network-online.target
5 After=network-online.target
6 AssertFileIsExecutable=/opt/minio/bin/minio
7   
8 [Service]
9 WorkingDirectory=/opt/minio
10   
11 User=minio
12 Group=minio
13   
14 PermissionsStartOnly=true
15   
16 EnvironmentFile=-/opt/minio/minio.conf
17 ExecStartPre=/bin/bash -c “[ -n \”${MINIO_VOLUMES}\” ] || echo \”Variable MINIO_VOLUMES not set in /opt/minio/minio.conf\””
18   
19 ExecStart=/opt/minio/bin/minio server $MINIO_OPTS $MINIO_VOLUMES
20   
21 StandardOutput=journal
22 StandardError=inherit
23   
24 # Specifies the maximum file descriptor number that can be opened by this process
25 LimitNOFILE=65536
26   
27 # Disable timeout logic and wait until process is stopped
28 TimeoutStopSec=0
29   
30 # SIGTERM signal is used to stop Minio
31 KillSignal=SIGTERM
32   
33 SendSIGKILL=no
34   
35 SuccessExitStatus=0
36   
37 [Install]
38 WantedBy=multi-user.target

7. Habilite e inicie o serviço de minio

1 systemctl enable minio && systemctl start minio

8. Verifique se o minio já começou

1 systemctl status minio

9. Anote seu acesso ao Minio e a chave secreta:

1 grep -E ‘accessKey|secretKey’ /opt/minio/.minio/config.json

Configuração

O Minio deve agora ser instalado, configurado e em execução. Você pode acessar a interface web minio indo para http://<server_ip&gt;:9000/ – faça login com o acesso e a chave secreta registrada acima na etapa 9.

Usando Minio

Como o Minio é compatível com protocolo S3, você pode usar as seguintes ferramentas para carregar, navegar e excluir dados de armazenamento do Minio:

Espero que você goste deste post.

Até mais

Abraços

KVM no linux e pandemia

E aí pessoal

Vocês conhecem virtualização?


Hoje a virtualização é basicamente usada por todas empresas.

Digo que 99,99% das empresas usam virtualização.

As 3 principais clouds públicas do mercado usam suas bases de infraestrutura como serviço suas tecnologias de virtualização.

Claro que de forma mais otimizada com seus códigos com mais performance, mas é baseado em suas tecnologias de virtualização.
afinal tudo ainda está em um datacenter, mesmo que tenha automação ainda é um datacenter.

AWS usa suas imagens em AMI baseadas em KVM.
Google Cloud Platform usa sua base em KVM.
Azure usa sua base de máquinas virtuais em Hyper-V.
O Openstack também como cloud privada ou cloud publica usado em vários provedores como Locaweb, Mandic, Uol Diveo, Claro dentre outros também tem tecnologia de sua base de virtualização com o KVM.

Hoje temos várias tecnologias de virtualização como Vmware, o próprio hyper-v, Xen da Citrix, o Kvm puro dentre outros.

Neste momento de pandemia podemos utilizar uma plataforma de virtualização baseada em opensource, o KVM.

O Kvm não tem custo e dispensa comentários pois os players públicos, e centenas de privados adotaram para uso em larga escala.

Neste momento de pandemia muitas empresas estão reduzindo seus custos com licenciamento, criando seus pools de virtualização e cloud privada, investindo em pessoas com conhecimento em tecnologia abertas em linux.

Várias corporações criam seus produtos com sua base em linux.

Isso gera criatividade e fomenta novas tecnologias ou formas criativas de trabalho.
Este é o momento mais criativo da humanidade se não o mais.

É importante que perfis de profissionais estejam atentos a estas tecnologias e os C-levels tenham sensibilidade de investimento nestas tecnologias.

Bom vamos lá para os passos?

KVM – Kernel Virtual Machine, (Máquina Virtual baseada em kernel) é uma tecnologia de virtualização de código aberto incorporada ao kernel Linux. Com a KVM para executar várias máquinas virtuais convidadas linux ou Windows. Cada hóspede está completamente isolado dos outros e tem seu próprio sistema operacional e hardware virtual dedicado, como CPU(s), memória, interfaces de rede e armazenamento.

Este guia fornece instruções sobre como instalar e configurar o KVM na área de trabalho do Ubuntu 20.04.

Também mostraremos como criar máquinas virtuais que podem ser usadas como um ambiente de desenvolvimento para diferentes aplicações.

Pré-requisitos

Para executar hóspedes com mais de 2 GB de RAM, você deve ter um sistema de host de 64 bits.

Antes de continuar com a instalação, certifique-se de que a máquina host do Ubuntu suporte a virtualização do KVM. O sistema deve ter um processador Intel com o VT-x (vmx), ou um processador AMD com suporte à tecnologia AMD-V (svm).

Execute o seguinte comando grep para verificar se o processador suporta virtualização de hardware:

grep -Eoc ‘(vmx|svm)’ /proc/cpuinfo

Se a CPU suportar a virtualização do hardware, o comando produzirá um número superior a zero, que é o número dos núcleos da CPU. Caso contrário, se a saída for, significa que a CPU não suporta virtualização de hardware. 0

Em algumas máquinas, as extensões de tecnologia virtual podem ser desativadas no BIOS pelos fabricantes.

Para verificar se o VT está habilitado no BIOS, use a ferramenta, que está incluída no pacote.

Digite os seguintes comandos como raiz ou usuário com privilégios sudo para instalar o pacote que inclui o comando:


kvm-okcpu-checkerkvm-ok

sudo apt update

sudo apt install cpu-checker

Uma vez instalado, verifique se o sistema pode executar máquinas virtuais KVM aceleradas por hardware:

kvm-ok

Se o recurso de virtualização do processador não for desativado no BIOS, a saída será algo assim:

INFO: /dev/kvm exists

KVM acceleration can be used

Caso contrário, o comando imprimirá e uma mensagem de falha e, opcionalmente, uma mensagem curta sobre como ativar a extensão. O processo de habilitação da tecnologia AMD-V ou VT depende do tipo de placa-mãe e processador. Consulte a documentação da sua placa-mãe para obter informações sobre como configurar o BIOS do sistema.

Instalação do KVM no Ubuntu 20.04

Execute o seguinte comando para instalar o KVM e pacotes adicionais de gerenciamento de virtualização:

sudo apt install qemu-kvm libvirt-daemon-system libvirt-clients bridge-utils virtinst virt-manager

  • qemu-kvm – software que fornece emulação de hardware para o hipervisor KVM.
  • libvirt-daemon-system – arquivos de configuração para executar o daemon libvirt como um serviço de sistema.
  • libvirt-clients – software para gerenciamento de plataformas de virtualização.
  • bridge-utils – um conjunto de ferramentas de linha de comando para configurar pontes ethernet.
  • virtinst – um conjunto de ferramentas de linha de comando para criar máquinas virtuais.
  • virt-manager – uma interface gui fácil de usar e utilitários de linha de comando de suporte para o gerenciamento de máquinas virtuais através do libvirt.

Uma vez instalados os pacotes, o daemon libvirt será iniciado automaticamente. Você pode verificar digitando:

sudo systemctl is-active libvirtd

active

Para ser capaz de criar e gerenciar máquinas virtuais, você precisará adicionar seu usuário aos grupos “libvirt” e “kvm”. Para fazer isso, digite:

sudo usermod -aG libvirt $USERsudo usermod -aG kvm $USER

$USER é uma variável de ambiente que detém o nome do usuário atualmente conectado.

Faça login e faça login de volta para que a adesão ao grupo seja atualizada.

Configuração da rede

Uma ponte chamada “virbr0” é criada durante o processo de instalação. Este dispositivo usa o NAT para conectar as máquinas dos hóspedes ao mundo exterior.

Você pode usar a ferramenta para listar as pontes atuais e as interfaces a que estão conectadas:brctl

brctl show

bridge name    bridge id         STP enabled    interfaces

virbr0         8000.52540089db3f    yes         virbr0-nic

A ponte “virbr0” não tem interfaces físicas adicionadas. “virbr0-nic” é um dispositivo virtual sem tráfego roteado através dele. O único propósito deste dispositivo é evitar alterar o endereço MAC da ponte “virbr0”.

Esta configuração de rede é adequada para a maioria dos usuários de desktop do Ubuntu, mas tem limitações. Se você quiser acessar os hóspedes de fora da rede local, você precisará criar uma nova ponte e configurá-la para que as máquinas convidadas possam se conectar ao mundo exterior através da interface física do host.

Criando máquinas virtuais

Agora que o KVM está instalado no seu desktop Ubuntu, você pode criar o primeiro VM. Isso pode ser feito a partir da linha de comando ou usando o aplicativo.virt-manager

Baixe a imagem ISO do sistema operacional que deseja instalar e siga as etapas abaixo para criar sua máquina virtual:

Na barra de pesquisa Atividades tipo “Gerenciador de máquinas virtuais” e clique no ícone para iniciar o aplicativo.

Depois que o aplicativo é iniciado, a partir do menu superior clique em “Arquivo” -> “Nova Máquina Virtual”:


  1. Uma nova janela aparecerá. Escolha “Mídia local de instalação” e clique no botão “Avançar”.
  2. Forneça seu caminho de imagem ISO e clique no botão Avançar.
  3. Na próxima tela, escolha as configurações de memória e CPU da VM. Clique em Avançar.
  4. Em seguida, selecione “Criar uma imagem em disco para a máquina virtual” e selecione o tamanho do espaço em disco da VM. Clique em Avançar.
  5. Digite um nome para o nome da sua máquina virtual e clique em “Terminar”.
  6. O VM será inicializado, e uma nova janela será aberta:


    A partir daqui você pode seguir as instruções na tela para completar a instalação do sistema operacional.

Uma vez instalado o sistema operacional, você pode acessar a máquina virtual a partir do aplicativo, via ssh ou usando a interface Serial Console.virt-manager

É importante salientar que os testes aqui além de ambientes linux o Windows funciona perfeitamente.

Espero que eu tenha aberto sua mente e ajude neste momento tão especial em tecnologia.

Abraços

Microsoft Teams Exploratory

Olá pessoal

Para as empresas que querem avaliar e analisar o Teams e não sabe como é o procedimento segue abaixo um passo a passo de como realizar uma ativação.

É preciso ter o Microsoft Azure AD na sua versão gratuita.

Fonte: https://docs.microsoft.com/pt-br/MicrosoftTeams/teams-exploratory

Acesse https://azure.microsoft.com/pt-br/services/active-directory/ se cadastre gratuitamente e use o Azure Active Directory.

O site do Azure AD fica em https://aad.portal.azure.com

Lembrando que o seu cadastro do site do portal do Azure AD ele já cria um domínio Microsoft como igual acima do meu fabiosilva.onmicrosoft.com

Para criar um usuário de teste é só seguir em + Novo Usuário.

Depois deste processo você pode acessar o portal do Office 365 em https://portal.office.com pois você já é um usuário que é administrador global.

Acesse o portal do Office com seu usuário administrador global e acesse o ícone de administrador.

Você já vai ter algumas licenças como da do Teams (100 Licenças) para explorar.

Clica no ícone do Temas Exploratory e você já pode ativar para algum usuário para você testar.

Assim que você atribuir você já está apto a usar o Teams de 2 formas.

Acesse o portal do Teams https://teams.microsoft.com

Autentique com a conta escolhida

Autentique com a conta do Azure AD.

Tudo é muito didático e autoexplicativo, se você quiser pode baixar o aplicativo do Teams na sua máquina ou acessar via web no portal do teams.

Pronto, você já pode explorar o Teams.

OBS: Se liga no tempo de teste que a Microsoft irá te dar.

Fonte: https://docs.microsoft.com/pt-br/MicrosoftTeams/teams-exploratory

Espero que tenha ajudado.

Solução home office de sugestão

Olá pessoal

Solucao simples.

Solução simples em Azure, custo baixíssimo. Windows 10 pro, maquina D2v3 acessando com recurso Samsung Dex. O Samsung ele ativa o modo desktop e é sensacional. Sem investimento de thinclients. Hoje temos celulares que faz que nem você imagina. Esta solução você pode fazer também investimento baixo com um simples raspberry com S.O Adaptado para o hardware, o raspbian originário do Debian. Pronto, temos um kit para home office.

Veja imagens abaixo.

Laboratório com Windows 10 no Azure

Samsung Dex

Veja imagens abaixo:

Samsung Dex custa em Media R$300,00

Você também pode investir em um Raspberry PI que esta na mesma faixa de preço.

Se caso for comprar mais de um rasp o valor cai.

Você não precisará investir em um sistema operacional pois ele será no Azure. Só o Raspbian com acesso protocolo RDP.

Espero ter ajudado com a Covid.

Não é fácil para as empresas investirem neste momento.

Mudanças no Office, agora Microsoft 365.

O modelo de negócio da Microsoft mudou muito ao longo dos últimos anos. A empresa abandonou as licenças por produto para abraçar uma filosofia de subscrição de serviços, que assim se torna muito mais simples a forma de usar e consumir.

O Office 365 se torna Microsoft 365 é a nova oferta, com muito mais serviços inlcuidos.





Adeus Office 365.

Será já no próximo dia 21 de abril que a Microsoft fará mais uma das suas grandes mudanças. É neste dia que o Office 365 desaparece para dar lugar a uma grande novidade, o Microsoft 365.

Esta passará a ser a grande oferta de produtos Microsoft, que passará a ir bem mais longe que a suite de produtividade. Com 2 planos base, o Pessoal e o Family, a Microsoft vai ter presente toda a sua atual oferta de produtos.

Bem vindo Microsoft 365.

Claro que vai haver novidade e por isso vamos ver surgir o Family Safety, que irá abrir os componentes digitais das crianças. Outra aposta certa é o Teams. Este não irá de imediato substituir o Skype para ambientes locais, mas gradualmente a mudança acontecerá, em nuvem já pe sucesso.

Outra novidade, que chegará mais tarde, é o Microsoft Editor. Este editor de texto quer ser muito mais que o Word e terá acesso a um conjunto de funcionalidades baseadas na IA. Tratará da ortografia e da gramática.

Uma grande mudança no software

Claro que vai haver ainda muito mais para descobrir e conhecer. O Excel terá novidades muito em breve, que o vão elevar ainda mais e o Powerpoint contará com a presença da funcionalidade Presenter Coach, que ajudará nas preparações de apresentações.

Esta é mais uma mudança da Microsoft para os seus produtos. A empresa tem se esforçado para se adaptar-se às necessidades dos clientes e está cada vez mais longe dos modelos tradicionais de acesso ao software.

Veja as novidades: https://www.microsoft.com/pt-br/microsoft-365/blog/2020/03/30/introducing-new-microsoft-365-personal-family-subscriptions

Veja o site do Microsoft 365: https://www.microsoft.com/pt-br/microsoft-365/business

É genial pois as features e serviços de M365 serão integradas: https://docs.microsoft.com/pt-br/microsoft-365/campaigns/

Vamos aguardar dia 21 para ter a lista completa.

Exame

Notícias do Brasil e do Mundo. Economia, Política, Finanças e mais. ➤ Entrevistas, Análises e Opinião de quem entende do Assunto! ➤ Acesse!

Project THOR

Technical and Human infrastructure for Open Research

randieri.com

Il blog di Cristian Randieri

TEC OFFICE PRODUTIVO

Tec Office Produtivo é um grupo de treinamentos, dicas e tutorias de informática sobre aplicativos utilizados em escritórios.

GOLD RECIPES.

GOLD RECIPES.

Escadas Especiais

Projetos, fabricação e instalação de escadas em geral

Jaqueline Ramos

Devops & Cloud

%d blogueiros gostam disto: