Arquivo da categoria: AWS

Diferenças de POC, Piloto, Teste ou Try and Buy

Olá pessoal

Com advento de cloud e produtividade ter massificação exponencialmente muitas empresas, corporações tem pedido alguma forma de saborear, testar e se suas aplicações, servidores são aderentes ao uso em cloud.

Isto posto a massificação de pedidos de POC (Prova de conceito ou proof of concept) tem crescido muito.

Mas qual as definições de uma POC ou um piloto ou um teste ou try and buy como você preferir.

Na área de arquitetura isso tem bastante diferença na hora que o cliente pede este tipo de modelo de negócio assim seja.

Geralmente o pedido de POC não tem custo, já os modelos de Piloto, teste ou try and buy tem uma profundidade técnica ou de estudo dos workloads e aplicações dos cliente que de alguma maneira geram custo sejam ele pequeno ou não.

POC – Prova de Conceito ou Proof of concept:

É uma forma de demonstração básica de um serviço, plataforma ou infraestrutura que pode ou não coincidir com algum serviço que você tem semelhante em seu ambiente. Óbvio que estou focando em cloud.

Geralmente os fabricantes como Azure, AWS e Google Cloud e os integradores parceiros e seus arquitetos ou BDMs mais técnicos já tem laboratórios e ambientes prontos para demonstrar e satisfazer a relação comercial. Isso gera bastante resultado em fechamentos de negócios ao mostrar funcionando em tempo real  algum laboratório que o cliente gostaria de ver.

No site do Wikipédia tem uma otima definição de POC em seu contexto geral.

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Prova_de_conceito#:~:text=A%20PoC%20%C3%A9%20considerada%20habitualmente,constru%C3%A7%C3%A3o%20j%C3%A1%20seja%20operacional…

Em resumo o POC na sua definição não é um teste direto em um ambiente de produção ou homologação e até desenvolvimento do cliente.

Ha muitos POC que ainda hoje o cliente confunde bastante que seu ambiente deve ser testado. Mas a definição é outra.

Piloto, Teste ou Try And Buy: Agora sim este é uma definição de que o cliente já fez o POC, conheceu o produto ou serviço e quer tracionar se sua aplicação, infraestrutura, plataforma e ou produtividade tem aderência com seu negócio.

Este tipo de modelo tem variações pois ele é antecessor a que vai virar efetivamente um projeto.

Normalmente é feito um assessment no ambiente do cliente, feito todo mapeamento de workload, infra ou aplicação, feito adaptações para que o ambiente funcione ou não.

Neste caso o fabricante ou integrador seleciona uma equipe para realizar os teste gerando horas de trabalho e obvio que em algumas organizações ela aposta que o negócio será fechado ou movimenta o número de horas gastas para o projeto. Afinal nenhuma organização vive sem rentabilidade.

Diferente de ambientes físicos em ambiente de cloud e produtividade os fabricantes disponibilizam direto servicos sem custo ou um crédito que possibilita a qualquer pessoa no globo terrestre seja ela curiosa ou não.

Os fabricantes como Microsoft Azure e Microsoft  365 disponibilizam créditos de Azure e 1 mês para uso das ferramentas da suíte Microsoft 365.

A AWS, Google Cloud, Oracle e Alibaba disponibilizam créditos para POC, teste suficiente para que você possa fazer sozinho ou contratar um canal ou parceiro para jornada da nuvem.

A Vmware tem um laboratório de teste interessante online onde você pode testar as funcionalidades da ferramenta na integra sem custo.

Espero que você tenha entendido e eu vou deixar vários links onde você pode adquirir seus créditos ou testar.

Office 365 E3 – você pode testar na integra por 1 mês 25 contas do Office 365 E3 – https://signup.microsoft.com/create-account/signup?offerid=B07A1127-DE83-4a6d-9F85-2C104BDAE8B4&dl=ENTERPRISEPACK&ispolaris=1&culture=pt-br&country=BR&ali=1&products=cfq7ttc0k59j:0009

Para quem já tem a suíte é mais fácil ainda basta seguir os DOCS da Microsoft para testar – https://docs.microsoft.com/pt-br/microsoft-365/commerce/try-or-buy-microsoft-365?view=o365-worldwide#try-or-buy-a-microsoft-365-subscription

Microsoft Azure – Você tem por volta de $200,00 dólares ou R$900,00 para testar durante 1 mês e vários serviços que permite o teste até 12 meses gratuitamente. https://azure.microsoft.com/pt-br/free/search/?&ef_id=Cj0KCQjwyJn5BRDrARIsADZ9ykFQ8mfTq4KWQ1NYHmwU4RMf6_IuAhu3Z6LELXk1v_PMqqNcbTKcYPgaAu3TEALw_wcB:G:s&OCID=AID2100014_SEM_Cj0KCQjwyJn5BRDrARIsADZ9ykFQ8mfTq4KWQ1NYHmwU4RMf6_IuAhu3Z6LELXk1v_PMqqNcbTKcYPgaAu3TEALw_wcB:G:s&dclid=CM_Pre7l_OoCFRUyuQYdEGMHaA

AWS – Voce cria sua conta, recebe um crédito para uso e varios serviços para uso gratuito de até 12 meses, veja neste link https://aws.amazon.com/pt/free/?all-free-tier.sort-by=item.additionalFields.SortRank&all-free-tier.sort-order=asc

Google Cloud Platform – O GCP tem $300,00 dólares para você testar os produtos e serviços da ferramenta.

Como nas concorrentes o GCP tem vários servicos gratuitos para teste. https://cloud.google.com/free?gclsrc=aw.ds&&utm_source=google&utm_medium=cpc&utm_campaign=latam-BR-all-pt-dr-bkws-all-all-trial-b-dr-1009133-LUAC0008676&utm_content=text-ad-none-none-DEV_m-CRE_442845170121-ADGP_BKWS+%7C+Multi+~+General+%7C+Trial-KWID_43700042337576968-kwd-721792953087-userloc_1001765&utm_term=KW_%2Bgoogle%20%2Bcloud%20%2Btrial-ST_%2BGoogle+%2BCloud+%2BTrial&gclid=Cj0KCQjwyJn5BRDrARIsADZ9ykGktidBSfP1dk4GkNJOqUA5YX1au_gvOaXqcMpayurp_RHcgNvTdDsaAl3OEALw_wcB

Vmware – A vmware disponibiliza laboratórios para teste e isso faz muito a diferença na escolha de seus serviços. https://labs.hol.vmware.com/HOL/catalogs/catalog/1212

Eu nao mencionei acima mas a Citrix também tem seus Labs e a Dell deu uma mão para quem quer testar.

https://www.citrix.com/pt-br/global-partners/dell/education.html

https://demo.citrix.com/login

Acredito que tenha dado um overview sobre este tema.

Até mais pessoal

AWS OUTPOSTS

AWS fornece serviços onpremisses

AWS fornece serviços on-prem disponíveis no lançamento

Os serviços suportados localmente nos novos AWS Outposts incluirão clusters Amazon ECS e Amazon EKS para aplicativos baseados em contêiner, clusters Amazon EMR para análise de dados e instâncias Amazon RDS para serviços de banco de dados relacional quando o Outposts for lançado ainda este ano.

O Amazon SageMaker e o Amazon MSK estão entre outros serviços que se seguirão logo depois, de acordo com Matt Garman, vice-presidente de serviços de computação da Amazon Web Services.

O AWS Outposts totalmente gerenciado, que basicamente estende uma região da AWS aos próprios datacenters dos clientes, foi anunciado na conferência AWS re: Invent em novembro passado. Ele incluirá duas versões, o VMware Cloud on AWS Outposts e a versão nativa do AWS Outposts .

O AWS Outposts permite que os clientes usem serviços, infraestrutura, interfaces de programação de aplicativos (APIs) nativas da AWS e outras ferramentas em suas instalações locais, com hardware de data center integrado que é executado nos ambientes VMware ou nativos da AWS. O novo serviço totalmente gerenciado foi projetado para executar aplicativos com baixa latência e requisitos de processamento de dados locais.

Os clientes podem usar o AWS Outposts para iniciar uma variedade de instâncias do Amazon EC2 – C5, M5, R5, I3en e G4, com ou sem opções de armazenamento local – e volumes do Amazon Elastic Block Store localmente, de acordo com Garman.

“Você pode usar a conectividade privada com seus buckets do Amazon S3 ou tabelas do Amazon DynamoDB na região pública”, escreveu Garman em um post de blog ontem, que oferece mais clareza no Outposts. “As ferramentas da Amazon também funcionarão com os Outposts. As chamadas de API serão registradas via CloudTrail automaticamente, e os modelos existentes do CloudFormation funcionarão. Quando a AWS lança novas inovações, elas trabalham com os Outposts para que os clientes sempre possam tirar proveito das mais recentes tecnologias. ”

A AWS recusou-se a nomear clientes ou parceiros com acesso antecipado a Outposts, mas Garman citou “imenso” interesse do cliente como parte de suas estratégias de nuvem híbrida. A AWS está conversando com empresas de setores como saúde, serviços financeiros, manufatura, mídia e entretenimento e telecomunicações, disse ele.

“Um dos cenários mais comuns são os aplicativos que precisam de latência de um dígito em milissegundos para usuários finais ou equipamentos no local”, disse Garman. “Os clientes podem precisar executar cargas de trabalho intensivas em computação nos pisos de suas fábricas com precisão e qualidade. Outros têm aplicativos com uso intensivo de gráficos, como análise de imagem, que precisam de acesso de baixa latência a usuários finais ou cargas de trabalho intensivas em armazenamento que coletam e processam centenas de (terabytes) de dados por dia. ”

Um usuário antigo do Outposts não identificado está usando-o para controlar e operar equipamentos industriais em centenas de locais de trabalho em todo o mundo.

“Eles já executam aplicativos de tomada de decisão centralizados na AWS para identificar o trabalho a ser executado em qual site”, disse Garman. “O acesso previsível de baixa latência aos recursos locais de computação é essencial para que seus sistemas de controle locais gerenciem os materiais com suavidade e velocidade. Por exemplo, os sistemas de controle precisam processar fluxos de vídeo para detectar o produto na correia transportadora e executar um movimento robótico para direcionar o produto para o local certo. Seus sites também executam aplicativos de monitoramento de vídeo nos quais os dados capturados podem exceder a largura de banda disponível (quando) eles desejam realizar a codificação de vídeo no local. ”

Após conectar o Outpost desse cliente à região local mais próxima da AWS, a empresa tem controle total sobre sua rede virtual, incluindo a seleção de um intervalo de endereços de protocolo de Internet (IP), a criação de sub-redes e a configuração de tabelas de rotas e gateways de rede, de acordo com Garman.

“Com o Outposts, o cliente planeja padronizar as ferramentas no local e na nuvem e automatizar implantações e configurações em centenas de sites usando as mesmas APIs, as mesmas permissões IAM (gerenciamento de identidade e acesso), as mesmas AMIs EC2 (Amazon imagens de máquinas), os mesmos modelos do CloudFormation e os mesmos pipelines de implantação em todos os lugares ”, afirmou Garman.

Racks AWS Outpost

Os racks de data center de computação e armazenamento Outposts serão construídos com hardware projetado pela AWS. A AWS entregará, instalará, operará e monitorará a infraestrutura física dos postos avançados e fornecerá atualizações e patches automáticos.

Os racks, que são totalmente montados, incluem o mesmo hardware que a AWS usa em seus data centers de região pública. Eles têm 24 polegadas de largura, 48 polegadas de profundidade e 80 polegadas de altura e vêm com rodízios para manobrabilidade. Eles têm um barramento na parte traseira e uma prateleira de energia no meio, e usam uma unidade de conversão de energia redundante centralizada e um sistema de distribuição de CC no plano traseiro.

Cada componente ativo é redundante e pode ser removido e substituído sem afetar outras cargas de trabalho, de acordo com a AWS.

Os racks Outpost usam o mesmo plano de controle que os racks EC2, mas incluem um chip Nitro adicional em todos os servidores para ajudar a conectá-los à região pública da AWS.

Embora os racks de hardware incluam comutadores embutidos no topo do rack, os parceiros da AWS não vêem isso como um movimento da AWS para assumir o líder de mercado de comutadores de rede Cisco Systems ou outros fabricantes.

A AWS não está divulgando os componentes individuais usados nos racks AWS Outposts, mas todos foram exaustivamente testados e verificados pela AWS, de acordo com uma fonte próxima à empresa.

“Os clientes estão menos preocupados com os componentes de hardware individuais e mais interessados no valor que a experiência consistente da AWS e o serviço totalmente gerenciado que o AWS Outposts oferece”, disse a fonte.

Fonte: https://www.crn.com.au/news/aws-hypes-up-on-prem-services-available-at-launch-530943?

Curso EAD de Azure e AWS

Pessoal

Ao longo de 2017 e 2018 fizemos pelo menos 25 turmas de AWS e Azure entre aulas presenciais e aulas ao vivo.

Todas com muita dedicação e agora estamos lançando para uma melhor comodidades EAD.

Aproveitamos as aulas gravadas e editamos tudo que foi melhor das aulas ao vivo.

Será uma melhor comodidade para quem não é de SP.

Os valores estão promocionais.

Além da aula o aluno terá suporte nas segundas-feiras para Azure e AWS as quartas comigo mesmo.

A Tempo Real eventos como sempre parceira e nos apoiando com qualidade.

Veja a primeira hora de Azure e AWS como cortesia.

Acesse o site:

https://www.temporealeventos.com.br/aws-ead/

https://www.temporealeventos.com.br/azure-ead/

Espero que gostem.

Abracos

Cloudberry Backup LAB com S3 AWS

Olá pessoal

Semana passada comentamos aqui sobre o Cloudberry backup com Microsoft Azure.

Irei mostrar a vocês como é o conector para S3.

É bem simples.

Veja todos passos como instalar aqui nesta matéria: https://fabiosilva.com.br/2019/07/09/cloudberry-backup-para-multicloud-lab-microsoft-azure/

Eu irei criar o bucket no S3.

Imagino que você já tenha uma conta no AWS. Se não tiver siga estes passos no próprio site da AWS https://aws.amazon.com/pt/free/activate-your-free-tier-account/.

Para criação do bucket no S3 é bem simples, iremos criar no botão “Criar Bucket”.

O backup você irá criar o nome do bucket a região que será armazenado o dado dentro do bucket. Simples assim.

Próximo passo é definição de chave, mas para este processo não precisará por enquanto, pois estamos definindo como é no software de backup Cloudberry.

Mantenha sem acesso ao publico.

Obviamente nós estamos criando um ambiente de laboratório e você irá definir se precisa de mais segurança ou outros tipos métodos de segurança para acessar a pasta.

Clique em criar bucket.

Bucket criado vamos para os passos seguintes para realizar a conexão com o Cloudberry.

Imagino que você tenha já visto os passos de como fazer a instalação do Cloudberry.

Abra o software e vamos no menu de criação para AWS.

clique no menu de local para CLOUD.

De o próximo passo para escolhemos o S3 da AWS.

Iremos escolher o S3 em “Add new Storage Account”.

Iremos escolher o Amazon S3, o Glacier é exatamente igual para realizar os procedimentos. Em um próximo tópico iremos falar só do Glacier.

Veja acima que para colocar esta chave é preciso ir no IAM serviço da AWS ele vai criar um acesso e gerar a chave de acesso ao seu ambiente do S3. Preencha a chave de acesso e preencha a chave secreta. Assim que você preencher tecnicamente o software esta se conectando em uma API do S3 em um endereço https da AWS, a chave irá realizar a autenticação e encontrará todos buckets criado em sua tenant. Veja que no menu ele já acha automaticamente o bucket que criei. Mesmo assim o software já tem poder de criar direto um bucket direto sem você precisar criar la no portal do AWS.

De o OK.

Veja que temos agora o S3 conectado para uso e temos o Azure da semana passada e podemos agora fazer backup multicloud.

Daqui para frente você irá criar seu plano de backup para realizar no S3 da AWS.

Pronto depois deste processo é o mesmo processo que fizemos no Azure. O link está aqui acima e siga os passos de la.

Pessoal, espero ter ajudado nesta matéria no AWS.

Até mais.

Amazon FSX – Seu FileServer na Nuvem

Olá pessoal

Hoje eu vou mostrar como montar seu servidor de arquivos na nuvem sem servidor. É seu servidor sem servidor com Amazon FSX. Ferramenta sensacional.

Mas Fábio eu não preciso de servidor para acessar o ambiente? Sim. É um serviço de plataforma baseada em instancia Windows.

Simples e totalmente gerenciado

Você não precisa mais se preocupar com a configuração e o provisionamento de servidores de arquivos e volumes de armazenamento, atualização de hardware, configuração de software ou execução de backups. Em minutos, você pode criar um sistema de arquivos totalmente gerenciado.

Compatibilidade nativa

Com sistemas de arquivos de terceiros totalmente gerenciados, você obtém compatibilidade nativa que suporta os recursos, desempenho e segurança do sistema de arquivos nos quais você confia hoje, sem necessidade de alterações em seus aplicativos.

Uma arquitetuta de ambiente em redes AWS

Uma arquitetuta de ambiente em VPN.

Integrações da AWS

O Amazon FSx integra os sistemas de arquivos de terceiros com serviços AWS nativos da nuvem, tornando esses sistemas de arquivos úteis para um conjunto ainda mais amplo de cargas de trabalho.

Para montar a plataforma é muito simples.

Coloque o nome do system name e defina o tamanho do volume que você irá usar.

O segundo passo é definir a rede, a zona e região que ele irá pertencer. Importante saber que por traz é uma instancia e totalmente gereciavel pela AWS.

Então você não se preocupa com a infraestrutura do ambiente.

O FSX exige que tenha um serviço de diretório para que faça as realizações de autenticação.

Crie o diretório.

O serviço de diretório tem 4 tipos de serviços, baseado em AD, Simple AD baseado em SAMBA, AD conector você pode integrar através de ADFS proxy o seu serviço e grupos de usuários do sérvio do AMAZON Cognito.

No caso estamos usando o serviço baseado no File Server Windows, então use o serviço baseado no AD.

OBS: O passo a passo do AD não está incluso aqui.

Como estamos fazendo um lab eu irei usar o serviço de tamanho pequeno, com dns fabiopereirasilva.local

Demora uns 25 minutos a criação do AD do Linux e mais ou menos 1 hora o AD do Windows, então tenha paciência.

Escolha o tipo de encriptação que será usado, neste caso o padrão default.

A manutenção é opcional, mas não arrisque, já mantenha uma política de backup já ativa para não ter problemas posteriores.

Verifiquei se esta tudo certo e crie o servidor.

Agora só aguardar a criação para dar sequência.

Pronto ambiente criado.

Vamos agora criar um diretório.

No serviço de diretório vamos criar uma pasta em Cloud Directory.

Criei a pasta teste123.

Para usar o serviço de fora da rede da AWS é preciso se conectar através de VPN.

Neste laboratório use uma maquina dentro da rede da AWS.

O método ai é igual ao tradicional.

net use H: \\fs-03d5694ee45130c14.fabiosilvapereira.local\teste123

Um exemplo de mapeamento via MSDOS.

Via meu computador

Mais informações a fonte é https://docs.aws.amazon.com/fsx/latest/WindowsGuide/migrate-to-fsx.html

Espero que com este post você seja capaz de usar o Serviço FSX da AWS.

Até a próxima.

Ao redor do buraco tudo é beira!

Um cavalo morto é um animal sem vida!

Exame

Notícias do Brasil e do Mundo. Economia, Política, Finanças e mais. ➤ Entrevistas, Análises e Opinião de quem entende do Assunto! ➤ Acesse!

Project THOR

Technical and Human infrastructure for Open Research

randieri.com

Il blog di Cristian Randieri

TEC OFFICE PRODUTIVO

Tec Office Produtivo é um grupo de treinamentos, dicas e tutorias de informática sobre aplicativos utilizados em escritórios.

GOLD RECIPES.

GOLD RECIPES.

Escadas Especiais

Projetos, fabricação e instalação de escadas em geral

%d blogueiros gostam disto: